Inflação: A Revanche

30 de junho de 2017

Balanço Semestral


Hoje pela manhã pensei como esse semestre passou rápido. Isso é um bom sinal, significa que usamos o tempo de uma boa maneira. Nesse quesito faço uma separação sobre os eventos externos e internos.

Começo pelo mais fácil, os externos, iniciamos o ano com muitos receios de radicalização ao redor do mundo. Naquele momento Trump dizia que mudaria a economia americana em 180º: trazer todas as fábricas de empresas americanas de volta aos EUA; mandar a China plantar batatas, pois vender no mercado americano só com produtos made in USA, desprezou a Primeira Ministra Angela Merkel, além de proibir a entrada de boa parte dos estrangeiros em seu país. O que aconteceu? Muito pouco! Na verdade, sua mudança radical parece mais com uma de 360º!

No front interno já não tivemos a mesma sorte, iniciamos o ano com bastante esperança que a economia e as finanças públicas se encaminhavam bem com uma certa tranquilidade política, apenas a continuidade da operação lava jato. Até a divulgação da gravação feita pelo dono da JBS, Joesley Batista. Ele concordou em executar uma operação muito arriscada para salvar sua pele, mesmo correndo o risco de sua empresa virar pó. A crise política todos nós estamos acompanhando. O pior neste caso é que se o Temer ficar teremos mais 18 meses sem grandes avanços, se correr ficamos sem comando até lá. Triste!

O mundo está melhor de uma maneira geral, as economias parecem sair dos 8 anos de letargia, e o mundo está ficando menos violento.
- David, como é que é, menos violento? Explique-se melhor!
Também fiquei surpreso com essa informação, mas veja a seguir uma ilustração histórica da quantidade de mortos desde os anos 50.


Impressionante! Parece que o efeito da mídia exponenciam as desgraças.

Como todo final de mês os PMI são publicados. Vou apresentar alguns publicados pela China, que tem uma postura de falar pouco e produzir muito. Vários analistas tem uma preocupação forte, e acreditam que seria lá o lugar para alguma surpresa negativa. Os dados publicados ontem ainda não apontam nenhuma preocupação, ao contrário, a atividade manufatureira e a de serviços aceleraram em junho, terminado o primeiro semestre de forma muito positiva.

O PMI da indústria publicado pela agencia oficial da China apontou um nível de 51.7, acima da expectativa do mercado em 51.0. O gráfico a seguir assinala níveis estáveis durante o 1º semestre.


Espelhando a força do índice acima, outras áreas da economia tiveram uma performance forte. Por exemplo, o indicador de PMI de serviços subiu para 53.8.


Sempre existe uma certa desconfiança sobre os dados chineses publicados por agencias oficias. Na próxima semana serão publicadas as mesmas informações calculado pelo Instituto Markit, onde o mercado poderá confrontar com os dados oficias.

Em relação a sua moeda, muito se falou no passado dos enormes volumes de saída. Os analistas ficaram muito preocupados com essa ação tomada pelos investidores, principalmente a possibilidade de contaminar sua população. É aí o risco é enorme, como já comentei, qualquer U$ 10.000 multiplicado por 1,3 bilhão de pessoas é uma quantia gigantesca.

Mas uma das razões que fizeram com que houvessem essas saídas era a convicção pelo mercado que o dólar subiria no resto do mundo, fazendo com que o yuan ficasse defasado. Em abril a Standard & Poor´s rebaixou sua dívida, isso deveria dar um impulso maior nesse sentido. Mas não foi o que acabou acontecendo, nem o dólar subiu, nem se elevaram as saídas após o anúncio.

O gráfico a seguir enfatiza um nível para a moeda chinesa que se rompido pode ter um efeito técnico mais profundo. Me recordo de ter comentado no final de 2016, quando essa região estava sob risco. Mas também aqui, esse evento não ocorreu, depois de tocar na cotação de 7, a moeda vem se valorizando nesses últimos meses, estando agora próxima de 6.75.

Como se pode verificar a seguir, não é uma grande variação para os padrões ocidentais, mas não se pode dizer o mesmo para o padrão Chinês. Notem que o gráfico está publicado de forma invertida a fim de facilitar sua leitura – para cima indica alta do yuan e ao contrário baixa.


A conclusão que se pode tirar é que o governo Chinês continua com uma boa gestão de sua economia e de suas finanças, caminhando em passos sólidos para conquistar no futuro a 1ª economia do mundo. Com um crescimento invejável e controle rígido. Não quero ser chamando de radical mas parece que políticos atrapalham mais que ajudam o desenvolvimento de um país, pois crescendo a 6 % a.a., imagino que a população chinesa não deve estar insatisfeita.

Minha última postagem sobre o ouro foi no início de junho esqueçam-Temer: ...” Como vocês podem observar o ouro está indeciso. Calculo que tanto acima de US$ 1.300 como abaixo de US$ 1.200, caso rompido, poderá desencadear um movimento direcional mais intenso. Enquanto continuar nesse intervalo, nada pode ser dito” ...


Um dos leitores assíduos do Mosca tem uma preferência explicita por esse ativo, notei isso durante os últimos 12 meses. Minha experiência me diz que, ou ele comprou ouro, ou presentou sua esposa com uma joia! Hahaha .... Sempre que alguém defende muito uma posição é porque está comprado! Diversas vezes fez comentários do tipo: “ O ouro vai subir!!!” Naturalmente em momentos que as cotações estavam mais quentes.

Eu sempre permaneci numa posição pragmática, nem confirmando seu desejo nem descartando. Minha postura era baseada em fatores técnicos e com esse ponto de vista, não tenho nenhuma direção a fornecer. Enquanto estiver no intervalo acima, tudo pode acontecer, consigo construir cenários de alta, como é minha visão de longo prazo, como de novas quedas, abaixo de U$ 1.050.


O gráfico acima, com uma visão de mais longo prazo, mostra que desde de o início de 2016, a maior parte do tempo o ouro esteve contido nesse intervalo. Houveram duas exceções em 2016, no primeiro semestre permaneceu algumas semanas acima, enquanto no final desse mesmo ano, algumas abaixo. Depois disso, está enquadrado nesse intervalo.


Por enquanto meu leitor “ourista” vai ter que ter paciência, se apenas comprou como investimento terá que lidar com a frustração, se foi a joia, melhor ficar quieto não comentando nada com a esposa. Mas tenho boas notícias, em algum momento o metal irá se definir para algum dos lados. Se subir, ótimo vamos poder comemorar juntos, pois devo sugerir compra, se for para baixo, estaremos em pontas inversas. Se esse último cenário acontecer, melhor comprar outra joia para esposa, mas escolha material diferente do ouro! Hahaha .... 


O Mosca não será publicado até o dia 21/07, retornando no dia 24/07, a não ser que alguma situação importante aconteça nesse período. Se esse for o caso, espero que seja sem a musiquinha (da Globo)! Hahaha ...

O SP500 fechou a 2.423, com alta de 0,16%; o USDBRL a R$ 3,3130, com alta de 0,29%; o EURUSD a 1,1420, com queda de 0,17%; e o ouro a U$ 1.241, com queda de 0,31%.
Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário