Inflação: A Revanche

7 de junho de 2017

Esqueçam Temer


O que eu quero dizer com esqueçam Temer? Na reunião mensal de macroeconomia, realizado na Rosenberg, a melhora da economia brasileira ficou nítida. Não quero com isso dizer que está de vento em popa, mas provavelmente o pior já ficou para atrás. O crescimento esse ano ainda será baixo, inferior a 1%, porém vários sinais são animadores. Por exemplo: a produção de automóveis recuperou bastante nos últimos meses; as contas cambias estão excelentes; inflação quase inexistente, em agosto deverá ser inferior a 3% a.a. (recorde histórico); emprego, que é um indicador retardado, já mostra uma reversão de tendência.


Não fosse o caso Joseley, os mercados de juros estariam apontando uma taxa SELIC de 7% no final deste ano, mas aconteceu. Por causa disso, diariamente permanece a dúvida que ninguém sabe responder: Temer fica ou não?

Mas os estrangeiros não estão dando bola e continuam a colocar dinheiro no Brasil através de investimentos diretos, compra de ações e títulos de renda fixa. Basta observar o comportamento do CDS (Credit Default Swap) - uma medida do risco Brasil – que subiu só um pouquinho depois do caso JBS. Nitidamente, a queda dos ativos brasileiros foi causada por nós enquanto os estrangeiros estão aproveitando para comprar.

O gráfico a seguir dá uma boa ideia do fluxo de recursos direcionados a bolsa nos mercados desenvolvidos e emergentes.


Em situações semelhantes no passado, eu tendia a acreditar mais no movimento interno que o externo. O raciocínio era: “ Eles não sabem o que está acontecendo aqui”. Hoje aprendi a ser mais cauteloso e tentar entender por que a visão deles é diferente.

Qual a aposta que eles fazem num momento tão incerto, onde o Presidente da República poderá ser cassado? Depois de discutirmos na reunião chegamos à conclusão que só teria uma situação onde o risco aumentaria muito. Essa situação conteria a saída do Temer, passar uma PEC para eleições diretas, e Lula ganhar. A probabilidade de tudo isso acontecer é muito baixa. Este cenário só tem um único interessado, o próprio Lula, pois tiraria o risco de ir para prisão.

Qualquer outro cenário, tanto faz: Temer grudado na cadeira; Rodrigo Maia como Primeiro Ministro; Tasso Jereissati; ou qualquer outro nome, a equipe econômica permaneceria, e é isso que importa.

Vocês devem estar se perguntando, é a reforma da Previdência? Como comentei alguns dias, o mercado resolveu dar um “desconto” e entendeu que ficou para 2018.

É nessas condições que poderemos passar os próximos 18 meses, um Presidente figurativo, e se for o Temer levando bordoada de todos os lados, com a economia melhorando. Os movimentos das ruas? Vai contar com meia dúzia de gatos pingados, muitos desempregados serão recontratados. Conclusão: Esqueçam Temer!

No post 3 = 4, fiz os seguintes comentários sobre o ouro: ...” Como vocês podem observar o ouro está indeciso. Calculo que tanto acima de US$ 1.300 como abaixo de US$ 1.200, caso rompido, poderá desencadear um movimento direcional mais intenso. Enquanto continuar nesse intervalo, nada pode ser dito” ...

Ontem o metal chegou a dar todas indicações que estaria pronto para dar o bote no nível de US$ 1.300. Porém, hoje saiu da zona de risco. Em todo caso, isso não significa que não haverá outra tentativa no curto prazo, esse movimento de queda, pode ter sido ocasionado pelos investidores que seguem o Mosca! Hahaha ....

Para acreditar que o ouro ainda está completamente sem rumo, será necessário que retraia para o nível de U$ 1.260, até lá pode estar preparando o bote.

Outro dia me ausentei das cotações de mercado por algumas horas e ao voltar, observei que a bolsa americana estava recuando 0,30%. Minha primeira reação foi que isso era uma queda expressiva. Fui buscar alguma informação do porquê, mas nada achei. De repente refleti que uma queda dessa magnitude não era nada, e fui fazer outra coisa. Ao terminar o dia, a bolsa recuperou e fechou sem variação. Mas tarde fiquei refletindo sobre a minha reação e percebi que fui contaminado por esse ambiente de baixa volatilidade. Como poderia eu, um macaco velho que já viu coisas horrorosas, cair nessa? Conclusão: O ser humano se adapta as condições do momento e reage de acordo com elas.

Essa passagem serviu para me alertar agora quando estava escrevendo sobre o ouro. Quase cometi o mesmo erro, iria relatar que hoje ou ouro caiu forte, comparado com o fechamento de ontem - US$ 8,00! Ainda bem, que não cometi esse deslize.

O SP500 fechou a 2.433, com alta de 0,16%; o USDBRL a R$ 3,2732, com queda de 0,12%; o EURUSD a 1,1262, com queda de 0,11%; e o ouro a US$ 1.287, com queda de 0,50%.

Fique ligado!

2 comentários:

  1. Caro Mosca, no PMI Markit Manufacturing Brazil e no Services Brazil só existem nos números consolidados do survey. Agora pergunto: já viste a segunda derivada do PMI como o New Orders Index e o Production Level Index desses indicadores no Brasil, similar aos dados do ISM nos USA?

    ResponderExcluir
  2. Não vi esses dois indicadores que você menciona. Recomendo uma pesquisa no site da Markit http://www.markit.com/, embora não sei se terá acesso a toda base de dados sem ter uma subscrição.

    ResponderExcluir