Inflação: A Revanche

30 de junho de 2015

1 minuto = 61 segundos!

Os posts de hoje e amanhã estão reservados para a análise técnica dos principais ativos cobertos pelo Mosca. Em termos de noticiário econômico o assunto é Grécia, e deverá continuar por toda esta semana até que o resultado do referendum seja conhecido no próximo dia 5. A única coisa que poderia acrescentar, é que hoje às 23:59 GMT o mundo terá seu último minuto do dia com 61 segundos, fenômeno conhecido como "leap second".

Para a grande maioria da população isso não tem importância, mas para os relojoeiros, o segundo adicional é um grande problema e existe uma discussão se é vital ou deve ser  descartado. Ah, já ia me esquecendo, tem um outro grupo que este segundo é importantíssimo, os gregos terão mais tempo para pensar! Hahahaha....

No post Mantega-x-Levy-em-quem-você-aposta, publicado antes do vídeo do ex-Ministro entrando em um restaurante: ...Não seria nada dramático, uma queda de 8%, a não ser pelo fato, de que se observa no longo prazo (primeiro gráfico). Poderia indicar algo muito mais sério, mas por enquanto fiquem de olho no nível de 2.080 - 2.070, se chegar lá...
Ontem o SP500 fechou abaixo dos níveis citados acima, e do ponto de vista de momentum está numa conjectura delicada. 
Ou o SP500 se recupera rapidamente, ou uma queda de proporções ainda incertas está para acontecer. Vale a pena ficar de olho frequentemente neste indicador. Mesmo que você não tenha nenhuma posição, poderá indicar um movimento de aversão ao risco. Se tiver posição, muito cuidado, se seu stop for executado, não faça nada depois, evite comprar por qualquer motivo.

No post um-novo-reforço-seleção, fiz os seguintes comentários sobre o ouro: ...Agora que vocês já estão ficando especialistas em análise técnica, já identificaram um triângulo, onde as cotações do ouro encontram-se contidas. Também já sabem, que em algum momento ele será rompido e que, o mais provável, é que seja na direção do movimento maior, que neste caso é de queda... 
Com uma visão de mais a longo o prazo o dilema continua, porém as chances de uma nova mínima aumentaram bastante. A princípio esta eventual queda não deveria ser muito grande, entre 5% - 10%.
Mas se por acaso o metal resolver cair mais e romper o nível de US$ 1.050, aguardem a minha volta, a queda poderá ser muito maior.

O SP500 fechou a 2.063, com alta de 0,27%; o USDBRL a R$ 3,1020, com queda de 0,50%; 0 EURUSD a 1,1135, com baixa de 0,89%; e o ouro a US$ 1.172, queda de 0,59%.
Fique ligado!

29 de junho de 2015

Grécia, o inevitável

Desde que a dupla pop star assumiu o poder, parece que o aconteceu neste final de semana seria inevitável. Com centenas de horas negociando com a Troika, a teimosia ou ingenuidade, está levando a Grécia à um caminho desconhecido, pelo menos depois que se juntaram a moeda única. Esse país é conhecido como mal pagador há centenas de anos, portanto este caso será mais um.

Difícil saber o que irá acontecer nos próximos dias ou meses, mas o livro texto de economia prevê momentos muito difíceis. Agora, se o povo grego escolheu este caminho ao eleger um Primeiro-ministro de esquerda, terá que pagar suas consequências. O início nessas situações está acontecendo como o esperado: Fechamento dos bancos; filas nas bombas de gasolina, corridas ao supermercados. A única que não aconteceu desta vez, foi a desvalorização da moeda, por razões óbvias, não têm moeda própria!

A abertura dos mercados foi tumultuada, o euro despencou, as bolsas caíram e os juros despencaram, menos os dos títulos da Grécia! Hahahaha.... Mas depois de algumas horas, houve uma reviravolta, e o euro já negocia com pequena queda. Se ao correr do dia, os mercados ficarem calmos e retomarem os níveis de sexta-feira, a dupla pop star, fez um cálculo totalmente errado da situação, pois imaginavam que tinham um trunfo nas mãos, ao acreditar que a Troika não poderia empurrá-los para fora do euro. Se enganaram, vão ficar com todo ônus sem nenhum bônus!  Podem preparar suas malas, vão ter que ganhar a vida de outra forma.

O grande risco que a dupla está correndo, é o plebiscito marcado para o próximo final de semana, perguntando ao povo grego se estão a favor ou contra o programa proposto pelos credores. Eu não entendo de manobras políticas, mas esta consulta teria muito mais chance de passar se fosse feita antes. Agora, com uma avant premiere do que pode acontecer mais adiante, o povo pode aprovar, imprimindo uma derrota a Tsipras. Veja na figura a seguir que os gregos não querem sair do euro, gostariam de dar um calote, só isso! Hahaha...


No post faltava-combinar-com-os-gregos, fiz os seguintes comentários: ...As possibilidades são várias, nem resolvi anotar no gráfico para não confundir vocês. Até o nosso stop de 1,10, pode ser que o euro esteja num triângulo e daqui a pouco retorne com o movimento de alta. Mas se romper esse ponto, voltamos a estaca zero dos meses anteriores, acima de 1,145 sobe, e abaixo de 1,045 retoma o movimento de queda...
O euro abriu na Ásia com forte queda, mas veio se recuperando na abertura da Europa e USA. Neste momento praticamente no nível de fechamento de sexta-feira. Duas interpretações podem ser dadas a isso: Primeira que a expectativa do referendum vai ser um amplo sim a favor do pacote, ou pior, que tanto faz o que a Grécia decida. Do ponto de vista técnico, a opção do triângulo parece combinar com o que está acontecendo. 

A partir de quinta- feira, o Mosca vai ficar fora do ar até o dia 20/07, férias! Pretendo, antes de sair, deixar as previsões para os mercados que cubro com maior frequência, e como sempre, estarei atento para qualquer evento mais importante. O período atual promete.

O SP500 fechou a 2.057, com queda de 2,09%; o USDBRL a R$ 3,1175, com queda de 0,30%; o EURUSD a 1,1235, com alta de 0,64%; e o ouro a US$ 1.179, com 0,43%.
Fique ligado!

26 de junho de 2015

Acertar no pico é pura sorte!

O post de hoje é muito importante para sua vida de investidor. Não vai falar de economia, política, e muito menos sobre futebol, o assunto de hoje é sobre comportamento financeiro (financial behaviour). Não adianta nada você ter boas intuições sobre o futuro, se não cuidar da administração do risco. Quando eu trabalhava no BFB, conheci um alto executivo de um banco concorrente, que sempre acertava tudo! Veja esta simulação para entendam como era?

Master: David comprei dólar a R$ 1,60, na bacia das almas.

Você ficava com aquela cara de taxo, mas engolia firme, pois a cotação estava em R$ 1,80. O dólar continuava a subir e chega na máxima a R$ 2,00, depois recua para R$ 1,70.
Como ele sempre gostava de contar vantagens, queria reencontra-lo.

David: Master tudo bem? E aquela posição de dólares?
Master: Vendi tudo a R$ 2,00!
A vontade era mandar ele para aquele lugar, ou dizer se ele achava que meu ouvido era pinico! Hahahaa... Mas se vocês acham que terminava por aí, se enganam, em seguida, vinha esta.

Master: Você não vai acreditar, além de liquidar toda a posição que tinha comprado, aproveitei a cotação alta, e vendi a descoberto!

Histórias como esta existem aos montes, já devem ter escutado algumas. Pode até ser que algumas sejam verdadeiras, mas o que isto pode mudar a sua vida, absolutamente nada! Se você passou por uma situação dessas e colocou todo seu dinheiro, é completamente louco. Partindo da hipótese que foi mais um trade, que diferença vai fazer no longo prazo? Nenhuma! Agora do ponto de vista emocional, se você se deixar levar pelo seu ego, provavelmente vai perder muito dinheiro daí em diante.

No post ações-preço-de-banana, procurei mostrar que estava acontecendo uma frenética paixão dos chineses pela sua bolsa de valores, ou melhor, em ganhar dinheiro fácil. A quantidade de abertura de novas contas, usando contratos de margem para alavancar, estava na casa de milhões: ...A bolsa de valores na China vem chamando a atenção em 2015, agora é oficial, sua alta supera os 100%. No post camelô-de-mercado, mostrei coisas inéditas que vêm acontecendo naquele país, como um camelô dando aulas de como investir na bolsa... ...Com certeza, deve estar dando mais lucro comprar e vender ações, que vender frutas! Ou será que as ações estão a preços de banana? Hahahaha... A economia não está compatível com tanto otimismo.



Só ontem a queda no índice Shanghai foi de 7,40%, acumulando um total de 17% do pico atingido no início deste mês. O Mosca sabia que a queda era eminente? Imagina, de jeito nenhum! O que o Mosca estava alertando, é que uma onda especulativa tinha tomado conta dos chineses, e que nestes momentos tudo fica perigoso, hora de apertar os stops, se estiver comprado.

- David, então estourou a bolha?
Não dá para saber ainda, precisa esperar um tempo para avaliar qual vai ser o tamanho do estrago. Mais uma vez o stop mostrou sua utilidade, já imaginou quem está comprado ainda, o que deve estar pensando em fazer, vender ou esperar melhorar?

No post tendências-chinesas, eu tracei uma hipótese para a cotação do dólar contra o real: ...Notem, que eu separei em 3 movimentos (vermelho azul e verde) com um formato de zig-zag. Anotei no gráfico de cada cor 3 pontos. Essa última característica indica que estamos numa correção, isso é muito importante daqui algum tempo. A cada término do trio de cores, aparece uma onda chamada de "X", que separa este movimento todo, para o início de um próximo, semelhante, não igual, mas que mantem a mesma sequência...
Podem esquecer, só valeu pelo exemplo didático, pois o dólar resolveu tomar outro rumo. OK, é assim mesmo, correção é imprevisível. Vou fazer outra tentativa, veja a seguir.
Pronto, que tal? Apenas uma "remodelação". Quem manda é o mercado, e ele não faz as vontades do Mosca só para satisfazer o meu ego, também ele não me pega em teimosia. Enquanto o stop não for acionado, o movimento pode ser qualquer um. E como tinha dito no post acima: ...É fundamental que proximamente, a barreira de R$ 3,05 seja rompida... Somente abaixo desse nível, nosso trade ganha impulso. Neste meio tempo, plim, juros para nós!

O SP500 fechou a 2.101, sem variação, o USDBRL a R$ 3,1268, sem variação; o EURUSD a 1,1163, com queda de 0,36%; e o ouro a US$ 1.174, com alta de 0,10%.
Fique ligado!

25 de junho de 2015

Mantega x Levy: Em quem você aposta?

Alguém sente saudades do ex-Ministro Mantega? Eu, nenhuma! Lembro quantas não foram as manhãs que, ao me deparar com as notícias do dia, lia as suas estapafúrdias declarações. A melhor mesmo, foi a da Tsunami Financeira, que originou o post tsunami reversa, em outubro de 2012. O que ele pregava naquela época, era que a ação dos Bancos Centrais injetando liquidez, estava inundando o Brasil de dólares. Veja quais foram minhas críticas naquele momento:
  • Tomada de medidas que implantaram um mecanismo de protecionismo a Indústria Nacional. Qualquer investidor detesta quando o Governo coloca regras que objetivam interesses políticos. A contra partida é uma diminuição da entrada de Investimentos pelos estrangeiros.
  • O câmbio não é mais livre, o BC instituiu uma banda entre R$ 2,00 e R$ 2,05, ou seja, para quem investe, acabou o ganho na valorização do real, agora só dá para perder, se o dólar subir.
  • A taxa de juros real está praticamente em zero, tirando a atratividade por este lado.
  • A economia está praticamente estagnada, com um crescimento pífio, desta forma estes fluxos esperados estão indo para outros países.
  • E por último, existem muitas incertezas no mundo.
Mostrei naquela época que o fluxo já tinha revertido, e que ao invés de entrar dólares, estavam saindo. Esta como inúmeras outras ações do governo "velho", nos colocou na situação atual.

Todas as vezes que converso com empresários ultimamente, sinto um desânimo generalizado, tudo está uma me&@a! Será que eu estou sonhando? Não vejo com esses olhos, e não entendam que virei a casaca e me tornei petista, isso jamais! Estou falando do Ministro Joaquim Levy, virei seu fã. Desde que assumiu o cargo do comando das finanças brasileiras, não lembro de nenhuma de suas propostas em que eu não estivesse de acordo. Tudo na direção correta.

Não gostaria mesmo de estar em sua pele, pois a raiva da sociedade com a Presidenta é tão grande, tanto pela população, políticos, e agora até seu padrinho Lula, que o governo hoje não tem apoio de ninguém, luta solitariamente. Mas o "salvador da pátria", continua em sua missão de colocar a casa em ordem.

Por exemplo, ontem publicou-se que, o CMN iria diminuir o intervalo de variação para a meta de inflação. Parece um detalhe, mas não é, Ele está dando uma indicação que daqui em diante a meta é para ser cumprida e que se houver algum desvio, uma ação imediata deverá ser tomada. Quanto a possibilidade de uma diminuição da meta fiscal, disse que ainda é muito cedo. Este é o seu estilo, quietinho, mas por outro lado determinado em seus objetivos, não tem desculpas.

Assim, como posso ficar pessimista, se o que vejo está tudo no sentido correto? É preciso mais paciência, e o sofrimento no curto prazo não terminou, aguardem uma SELIC de 14,5% ou 15%, já, já. Agora, se vocês me disserem que ela está para sair, parafraseando aquele antigo programa de TV, "sai de baixo"!

Temos observado nas contas cambiais, que uma boa parcela da dívida interna está sendo vendida aos estrangeiros. O gráfico a seguir, compara os vários detentores da dívida de governo, entre vários países. A nossa, ainda é muito baixa, e não deveria ser fonte de preocupação. "Juros para os gringos!"
 Ao buscar um comentário de mercado, confesso que foi difícil de achar algo interessante, nos quatro mercados que cubro com maior frequência, não merecem nada mais do que já comentei recentemente. O único movimento que chamou minha atenção foi o SP500, mais pelo momento de decisão que está por vir.

No post um pouco mais antigo a-matemática-das-finanças, fiz os seguintes comentários: ...Uma visão mais de longo prazo, dá uma ideia de como a situação é extremante delicada. O gráfico a seguir diz tudo, dentro em breve, deveremos ter uma decisão se a bolsa vai continuar subindo, ou estamos num ponto de inflexão, apontando para quedas....E postei o gráfico a seguir.
Ao verificar meus gráficos, o que faço diariamente, ou "horamente"! Hahahaha ...observei que o SP500 poderia estar num movimento denominado, ombro - cabeça - ombro, destacado em azul.
- David, essa é boa! Já estou me preparando para o dia que você virá com o movimento - deixa que eu chuto! Hahahaha ....
Se você tiver uma forma melhor para explicar esses movimentos, fell free! Enquanto isso, vou deste jeito. Essa formação, ganha sustentação, quando a linha em vermelho for rompida. Assim, seria esperado uma queda que levaria o índice ao redor de 1.950. 

Não seria nada dramático, uma queda de 8%, a não ser pelo fato, de que se observa no longo prazo (primeiro gráfico). Poderia indicar algo muito mais sério, mas por enquanto fiquem de olho no nível de 2.080 - 2.070, se chegar lá.

O SP500 fechou a 2.102, com queda de 0,30%; o USDBRL a 3,1269, com alta de 0,97%; o EURUSD a 1,1204, sem variação; e o ouro a US$ 1.172, com queda de 0,17%.
Fique ligado!

24 de junho de 2015

Tendências Chinesas

Se você é do ramo da moda, o título do post já não é novidade. É sabido que o ramo têxtil é duramente castigado pela competição de produtos chineses faz muitos anos. Mas não precisa ficar mais preocupado, o assunto refere-se a outros setores. A transição de um país focado em investimentos internos para o consumo, junto com uma mudança no uso de energia mais limpa, causou uma forte desaceleração nas commodities. Depois de anos de crescimento, e taxas superiores a 7% no período de 2005-2014, houve uma desaceleração para níveis de 2% em 2015.

Isto explica o fato da demanda chinesa ser efetivamente o motor que comanda o crescimento global. Como é de conhecimento dos analistas, a grande dificuldade de transformar o país de uma economia comandada pelo investimento, por uma comandada pelo consumo e serviços, combinado com uma luta com problemas de poluição, acabará por conspirar para não tornar a China como peça central na tese de recuperação global.

Dois fatores fizeram os exportadores globais mais diretamente dependentes da demanda doméstica chinesa, e portanto, mais vulneráveis à desaceleração em curso nos últimos anos: 1) Um rápido crescimento do mercado doméstico da China; e 2) A expansão da capacidade interna produtiva chinesa, diminuindo o comércio de produtos fabricados no exterior.

Os gráficos a seguir mostram claramente estas tendências.
A figura 3 apresenta o nível de dependência de cada país, em suas exportações para a China. A figura 4 são as exportações de cada país para produtos consumidos internamente na China.
A figura 5 mostra a participação de cada setor nas importações chinesas, e a figura 6, a evolução das importações de 2014, comparadas com 2013.
A figura 10 mostra a tendência da substituição dos produtos importados por produtos chineses, e o gráfico 11 as importações e exportações da China, de veículos e máquinas.

A principal conclusão desse movimento é que, com a esperada desaceleração do setor de construções este ano, podermos ver, um declínio de longo prazo no apetite das importações chinesas. Em outras palavras, se a China desacelerar forte, o mesmo irá acontecer com os outros países.

Ainda continuamos com nossa posição vendida no dólar contra o real, isso já faz quase dois meses comprados-e-vendidos-quem-são. No post ventos-gelados-da-Ásia, fiz os seguintes comentários: ...o mercado está "tentando" penetrar no primeiro intervalo que anotei acima. É fundamental que proximamente, a barreira de R$ 3,05 seja rompida, para que possamos ter esperanças na posição vendida em dólares. Neste momento, não resta nada a fazer, a não ser aguardar....
- Hahahaha ...., David não tinha mais nada para fazer! Ficou colorindo os gráficos!
Fica frio que vou te dar mais uma dica de Elliott Waves. Eu sei que o gráfico acima parece tudo, menos uma análise gráfica. Meu objetivo é ser o mais didático possível, para explicar esse movimento de correção. 

Notem, que eu separei em 3 movimentos (vermelho azul e verde) com um formato de zig-zag. Anotei no gráfico de cada cor 3 pontos. Essa última característica indica que estamos numa correção, isso é muito importante daqui algum tempo. A cada término do trio de cores, aparece uma onda chamada de "X", que separa este movimento todo, para o início de um próximo, semelhante, não igual, mas que mantem a mesma sequência.

Essa correção pode ser um duplo ou triplo zig-zag, este último menos frequente. Se minha contagem estiver correta, o USDBRL deverá cair, até um nível que é incerto ainda, pois depende se será duplo ou triplo. Como este gráfico é de curto prazo, é necessário analisar o que acontece num de prazo maior, e lá não dá para definir nada ainda. o USDBRL pode tomar várias formas (triângulo, onda C, e etc...). Como eu não sou adivinho, vou ficar na observação.. Mantenha o stop a R$ 3,22 e acompanhe o desenrolar. 

Os juros estão a nosso favor, o problema é de quem está comprado. E quanto mais o movimento ficar contido, pior para eles. Fazendo um conta simples, estes 60 dias na posição agregam um juros de 2%, isso faz com que nosso preço de equilíbrio passe dos R$ 3,15 (ponto de entrada) para R$ 3, 2130, ou seja já, estamos no zero a zero se formos estopados. Cada dia que passa, e continuamos na posição, contabiliza um lucrinho no bolso. Plim!

O SP500 fechou a 2.108, com baixa de 0,74%; o USDBRL a R$ 3,0968, com alta de 0,45%; o EURUSD a 1,1205, com alta de 0,37%; e o ouro a US$ 1174, com queda de 0,17%.
Fique ligado!

23 de junho de 2015

Faltava combinar com os Gregos

No post de ontem eu havia sugerido para a dupla pop star, para aproveitar a oportunidade no mercado de ouro, usando inside information sobre as negociações. Depois de um dia cansativo, negociações de um lado para o outro, parecia que um acordo estava próximo. Eu tinha comentado que, o desejo do partido de esquerda, era de não fazer nenhuma concessão, e na pior das hipóteses, abandonar o euro.

Essa foi a reação de membros do parlamento grego quando tiveram acesso as condições do acordo proposto. A fúria foi alta, veja algumas das declarações: ..."Eu acredito que esse programa como estou vendo, será difícil passar...O Primeiro Ministro precisa primeiro informar nosso povo, o porque nós falhamos nas negociações ... se terminamos com este resultado, essas medidas não estão em linha com os princípios que nós deixamos"...

O Primeiro Ministro, Alexis Tsipras até o momento foi "esmagado" pela Troika, aguentar sozinho toda essa pressão, assistindo uma sangria diária de seus recursos, requer muito controle. Agora sua missão é até mais difícil, como vai defender o programa que contém pontos onde ele era radicalmente contra? Aqui no Brasil aconteceu algo semelhante, quando o "novo" governo resolveu adotar uma política que repudiava durante o período eleitoral, só que o sistema no Brasil é presidencialista e na Grécia parlamentarista, faz toda a diferença. Lá, se o Parlamento for contra, o Tsipras pode começar a procurar emprego.

Não sabemos o que irá acontecer daqui em diante, mas a reação do mercado foi negativa, o euro levou um tombo de respeito, queda de 1,80%. Mas a reação do ouro não foi a esperada, ao invés de subir com a dúvida do acordo, acabou caindo mais. Assim, se a dupla pop star já tinha se antecipado e estava operando a plena carga, terão que incluir o prejuízo do ouro no pacote da dívida! Hahaha...

Ironicamente os dados do PMI da Europa, publicados hoje, vieram melhores. É o mais elevado dos últimos 49 meses
O índice publicado pelo Instituto Markit foi de 54.1.

Surpreendente também, foi a recuperação da economia francesa, a segunda maior da zona do euro, com um índice de 53,4, indicando expansão. O melhor sinal, veio dos empregos, que vem ganhando pulso.
..."Allons enfants de la patrie"... Será que o dia de glória chegou mesmo, ou é só um respiro?

No post Frankfurt-wir-haben-ein-problem, fiz os seguintes comentários sobre o euro: ...Não tenho a menor ideia como poderá ser o rompimento do nível de 1,145, se vai cair um pouco para subir, ficar para lá e para cá, ou se vai romper dentro em breve. Mas o mais provável é que suba... E tinha publicado o gráfico abaixo.
Acontece que o euro resolveu não seguir o caminho combinado, e rompeu a linha em azul acima. Agora não adianta ficar désolé, o mercado tem a palavra final! O gráfico a seguir contempla um intervalo maior, a fim de avaliar o que podemos esperar.
As possibilidades são várias, nem resolvi anotar no gráfico para não confundir vocês. Até o nosso stop de 1,10, pode ser que o euro esteja num triângulo e daqui a pouco retorne com o movimento de alta. Mas se romper esse ponto, voltamos a estaca zero dos meses anteriores, acima de 1,145 sobe, e abaixo de 1,045 retoma o movimento de queda. Dentro deste intervalo, ficamos de stand by, sem nenhum viés. "Eta moedinha complicada!"

O SP500 estava (*) a 2.124, sem alteração; o USDBRL a R$ 3,0830, sem alteração; o EURUSD a 1,1164, com queda de 1,55%; e o ouro a US$ 1.176, com queda de 0,69%.
Fique ligado!
(*) as 16:30 hs.

22 de junho de 2015

Um novo reforço para a seleção

Eu assisti alguns jogos da Copa América, e o que prevalece é uma igualdade por baixo. É surpreendente que a Argentina, a atual vice-campeã Mundial, e com  alguns dos  melhores jogadores do mundo, deveria estar apresentando um futebol muito melhor. No caso do Brasil, o elenco é de bons jogadores, a maioria atua nos melhores times da Europa, além do Neymar, tido como a nova estrela do Barcelona, mas o time...

Mas então por que será, que os jogos estão sendo tão medíocres? Uma primeira razão, seriam os técnicos, nenhum deles atua no exterior. A sua escolha, ainda leva muita dose de bairrismo, uma bobagem! Outro motivo, é que a diferença técnica entre os jogadores, diminui muito nos últimos anos. Me explico, no passado poucos atletas de boa qualidade jogavam no exterior, hoje eles não ficam no país. E natural assumir que, esses que vão ao exterior, adquirem conhecimento técnico e preparo físico muito superiores, enquanto os que aqui ficam, não tem esta oportunidade. Lei do capitalismo aplicado ao futebol.

Mas eu tenho uma sugestão que pode melhorar muito nossa seleção! Estamos vivendo a era da informatização e uma onda de substituição de trabalho das pessoas por robôs. Com uma boa pesquisa, deve-se encontrar um fabricante que produz "jogador robô". Não precisa ser muito habilidoso, basta que saiba cobrar faltas e escanteios, o restante do jogo, ficaria parado. A tática é simples, o Neymar é orientado a driblar todo mundo, quanto mais arrojado, melhor. Até que alguém cometa uma falta. Aí entraria o robô, que com precisão milimétrica, calcula o chute "ótimo". Depois é só comemorar os gols.
Ele já tem nome, Robonaldo! Hahahaha ....

- David, essa você exagerou!
Tirando o lado irônico do Robonaldo, será que algum dia isso não poderia acontecer? Se estão substituindo os humanos em várias funções, porque não no futebol?

Hoje parece ser um dia crítico para o caso da Grécia. Pela manhã o Primeiro-Ministro grego estava reunido com o Eurogrupo para discutir a proposta enviada ontem a noite. Para ser mais preciso, a primeira copia foi enviada, à meia-noite. Os gregos pediram desculpas, a proposta estava errada! A nova foi recebida as 9:30, coisa de pop star!

Depois do término, o grupo europeu ficara reunido para dar ser veredito final. Acontece que, o anúncio deveria acontecer muito tarde da noite, porém foi programado para ser mais cedo, aumentando as especulações que não haverá acordo.
Enquanto isso, o sistema bancário grego já está prestes a jogar a toalha. Adotou um limite não oficial de saque máximo de 3.000 euros por pessoa. A charge de hoje é sugestiva, o caixa do banco assalta o cliente que entra no banco. Espero que os assaltantes daqui não implementem esta ídeia. Ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão! Hahahaha ....
Em todo caso, os mercados estão mais animados, com as bolsas subindo, principalmente as da Europa.

No post lei-de-Murphy-é-fichinha, fiz os seguintes comentários sobre o ouro: ...Agora que vocês já estão ficando especialistas em análise técnica, já identificaram um triângulo, onde as cotações do ouro encontram-se contidas. Também já sabem, que em algum momento ele será rompido, e que, o mais provável, é que seja na direção do movimento maior, que neste caso é de queda... 

Não que o jogo já tenha se definido, mas na semana passada o metal ameaçou uma recuperação. Porém, hoje está em queda de US$ 15.
Parece que o mercado resolveu vincular a performance do ouro, em função da situação da Grécia, se sai o acordo o ouro cai, e caso contrário sobe. Como hoje eu estou cheio de idéias, vou dar uma para dupla pop star. Poderiam aproveitar está relação para resolver definitivamente a sua dívida e mandar a Troika para aquele lugar. Assim com estas indas e vindas, e como eles sabem exatamente o que vão fazer, basta comprarem e venderem ouro.

Agora o mercado não é trouxa, se percebem que a dupla pop star está por trás disso, a reação do mercado será ao contrário. É melhor que sejam rápidos! Hahaha....

O SP500 fechou a 2.112, com alta de 0,61%; o USDBRL a R$ 3,0799, com baixa de 0,53%; o EURUSD a 1,1340, com baixa de 0,10%; e o ouro a US$ 1.185, com queda de 1,17%.
Fique ligado!

19 de junho de 2015

Roleta Grega

O renomado ator Robert de Niro, atuou como protagonista no filme O Franco Atirador (The Deer Hunter), em 1978. Esta produção, ganhadora de 5 prêmios Oscar, conta a história no final da década de 1960 de três metalúrgicos russo-americanos que lutam no Vietnã. Depois de passar os horrores da guerra retornam aos USA. No final do filme, um dos amigos fica muito abalado e na cena final, aponta uma arma para sua cabeça, com uma única bala e dispara. Não vou contar o final, fica para quem quiser assistir.

Não é preciso ser um grande matemático para calcular qual é a chance de alguém perder a vida, numa atitude absolutamente irracional, 16,67%. Se isso fosse uma sugestão de trade, estou dentro, bom risco! Mas no caso da roleta Russa, onde se der errado perde-se a vida, não tem risco retorno que compensa.

Hoje será um dia interessante para se observar, uma vez que a Grécia está na linha de fogo, as conversas com os Ministros da Eurozona falharam. Uma reunião de emergência foi marcada para a próxima segunda-feira, em meio a temores de que enormes saídas de dinheiro podem impedir que os Bancos gregos abram já na próxima semana. O país parece cada vez mais próximo do default de sua dívida. Os jornais gregos noticiam todas essas ameaças, e se existe um boato que os bancos não abrirão, por esse motivo, não entenderia porque os gregos não mandariam seus euros para outro país, ou até guardem debaixo do colchão, a moda antiga.

Do outro lado, o pop star Alexis Tsipras, esta hoje na Rússia "assinando" um contrato com seu fã, Vladimir Putin. Parece estar bem tranquilo, pois ainda tem cabeça para viajar a negócios! Pressionado pela imprensa, combinado com a situação grave que ele colocou o seu país, declarou que a União Europeia deveria voltar a seus princípios, "solidariedade, democracia e justiça social". Dar o calote, tudo bem? Em outra frase disse que está confiante que será alcançado um acordo.

Ou o pop star é um psicopata e sua realidade é diferente do resto do mundo, ou ele está arriscando uma nova modalidade de "roleta grega", onde ao invés de uma bala no tambor do revólver teria 5, talvez 6 balas. Também não precisa ser um grande matemático para saber suas chances nesta empreitada. Pelo menos, se der tudo  errado, e o povo grego perceber o louco que elegeu, vai poder pedir asilo na Rússia e fazer apresentações exclusivas para seu maior fã! Hahahaha ....

Ontem foram publicados os dados da inflação CPI nos USA. O índice pleno ficou em 0,4%, e excluindo-se alimentos e energia em 0,1%. O gráfico abaixo apresenta vários indicadores, e lembro que o FED usa é o PCE (verde).

Recentemente publiquei uma análise sobre o SP500, a-matemática-das-finanças, onde comentei: ...Um primeiro sinal, pode ser visto a seguir, quando um outro triângulo menor, foi rompido. Em análise técnica, denomina-se "last kiss" quando uma linha de suporte é rompida e em seguida retorna ao ponto de rompimento como último teste, como a que está apontada no gráfico...
Depois disso, o mercado recuperou essa pequena queda anulando o efeito comentado acima, conforme gráfico atualizado abaixo.
- Epa David, você alterou a linha vermelha, manipulação de dados! Hahaha ...
Foi bom que você citou, essas linhas de resistência e suporte como são conhecidas, vão sendo redesenhadas conforme o ativo evoluiu, não tem uma postura rígida. Mais uma razão para se usar o stop, pois caso alguém tivesse vendido o SP500 considerando o conceito do "last Kiss", seria stopado. Eu nunca disse que operar quando o mercado está numa correção é simples, este é mais uma dificuldade. 

O SP500 fechou a 2.109, com queda de 0,53%; o USDBRL a R$ 3,0963, com alta de 1,21%; o EURUSD a 1,1352, sem alteração; e o ouro a US$ 1.199, com queda de 0,11%.
Fique ligado!

18 de junho de 2015

Jogo dos pontos - FED

Você deve lembrar da sua época de criança, as revistinhas infantis que tinham jogos de ligar os pontos. Os pontos tinham uma sequência que ao terminar visualizava-se a figura de um personagem. Para dizer a verdade, nem sei se ainda existem hoje, pois cada vez mais, observo crianças nos restaurantes entretidas com seus Smartphones ou Ipads, revista de papel, não lembro ter visto ultimamente.

Ontem, ao término da reunião do FOMC, foi publicado o costumeiro comunicado, e juntamente as novas previsões para os principais dados econômicos, bem como a expectativa que os membros do FED têm para a evolução das taxas de juros.

Na ilustração acima, as cores identificam a evolução das projeções entre a última reunião e esta. Algumas evidências saltam aos olhos, primeiro que é quase certeza que haverá elevação de juros este ano, e segundo que os movimentos subsequentes serão mais lentos.

Já o mercado resolveu empurrar mais para frente a data em que os juros começarão a subir. Agora é janeiro do próximo ano, ao invés de setembro, este último, ainda é a aposta mais forte dos economistas.
A informação mais importante do comunicado, na minha opinião, foi a diminuição nas expectativas de crescimento da economia, assim como, os baixos níveis de inflação.
Qualquer um pode pegar o gráfico com os pontos projetados pelo FED e traçar a sua curva, criando um "jogo dos pontos - FED", mas diferente do infantil, que existe uma sequência a seguir, este vai depender dos dados econômicos. Agora se ele começar a se parecer mais com um monstrinho, ou pior, uma linha reta próxima de zero, não vai ser nada divertido, e machucará a credibilidade do FED.

No post a-vaca-esta-velhinha, comentei sobre os juros de 10 anos: ...Como apontado abaixo (em vermelho), o mercado ultrapassou o que eu tinha denominado em outro post como a Golden Area, indicando que um trade para apostar na alta de juros seria favorável, como foi. Os indicadores técnicos estão bem, porém alguns fatores me fizeram declinar dessa ação. O que exatamente, não é claro para mim. Poderia resumir, que o shape do gráfico me deixa dúvidas, e na dúvida, eu aprendi que é melhor não fazer nada...
Não que tenha acontecido nada de muito importante, as taxas de juros declinaram de 2,5% a.a., para próximo a 2,30% atualmente.  Essa queda não significa que o mercado de juros mudou. A ação do FED, teve um impacto maior nos juros de curto prazo, com o possível alongamento do processo de alta do FED.
Para se ter uma convicção maior, que os juros deram meia-volta (queda), o nível de 2,10% tem que ser rompido, até lá o que está ocorrendo pode ser uma correção. Naturalmente, acima de 2,5% a alta readquiri fôlego. Por estas razões, o mercado está exatamente no meio deste intervalo, e para apostar tipo "Cassino", prefiro ir ao próprio. Fique de olho!

O SP500 fechou 2.121, com alta de 0,99%; o USDBRL a R$ 3,0593, sem variação; o EURUSD a 1,1358, com alta de 0,20%; e o ouro a US$ 1.201, com alta de 1,35%.
Fique ligado!

17 de junho de 2015

Frankfurt wir haben ein Problem

O Comandante da nave Apollo 13, 3ª missão tripulada à lua do projeto Apollo da Nasa, não cumpriu sua missão devido a um acidente durante a viagem de ida, causado por uma explosão no módulo de serviço, impedindo sua descida na lua. James Lovell, ao se comunicar com o comando na terra disse: ..."Houston we have a problem"... Desde então este termo foi popularizado para ressaltar situações importantes que não se concretizam.

A situação na Grécia está polarizando a atenção do mundo financeiro, que quer saber, ou adivinhar, o que a dupla pop star pretende: Ou tirar a última gota de suor dos credores, ou "chutar o pau da barraca", como se diz na gíria. A mais recente ameça foi direto ao FMI "Eles têm responsabilidades criminais em tentar humilhar o povo inteiro". Bonito! Mas como estão indo os países do Club Med, termo usado pelo Mosca, e lembrado por alguns leitores, que havia sumido dos textos? Ah, esses leitores não precisam se preocupar, é questão de tempo para voltar às manchetes.

Os lamentos nais recorrentes, em que os países europeus periféricos justificam seu elevado nível de desemprego entre os jovens, é a austeridade que lhes foi imposta pela Alemanha e outros países do Norte Europeu, que não permitem a emissão desenfreada de dívida para financiar os gastos domésticos e programas fiscais.

Mas o que vem acontecendo é que, os países do Club Med, estão emitindo dívidas a um ritmo ainda maior que o período "pré-austeridade"

A dívida pública italiana atingiu um recorde de 2.19 trilhões de euros em abril. Este dado foi usado pela oposição contra o Primeiro-Ministro daquele país: "ainda que os juros caíram, a dívida continua crescendo vertiginosamente e está ameaçando as finanças públicas, bem como a poupança do povo".

O aumento da dívida em relação ao PIB, atinge recordes, ano a ano, depois dos vários planos de austeridade, como pode-se ver os casos da Itália, Espanha e Portugal.

Para resumir a situação na Europa, nos últimos 5 anos, a Troika está fingindo que impôs austeridade (com o BCE comprando e garantindo essas dívidas), e o Club Med fingindo que implantou uma reforma.

No final, nada mudou o status quo pré-crise, a única diferença é que, os níveis relativos e absolutos de dívida, nunca foram tão altos.

"Frankfurt wir haben ein Problem"! Hahahaha...

E com tudo isso, o euro está a espera de uma decisão. Meu último comentário foi no post a-montanha-vai-Maomé: ...O euro rompeu aquele nível e, ao tentar ultrapassar 1,14, deu meia volta. Cometi um erro? Não ainda, pois também não fomos estopados.... Veja o gráfico a seguir.
Nada aconteceu desde então, e a moeda única continua indecisa. Desta forma vamos manter os mesmos parâmetros definidos anteriormente, cujo stop original é 1,1000.
Não tenho a menor ideia como poderá ser o rompimento do nível de 1,145, se vai cair um pouco para subir, ficar para lá e para cá, ou se vai romper dentro em breve. Mas o mais provável é que suba.

- David, então a Grécia vai jogar a toalha?
Sei lá! Mas pouco importa para nós, o que importa é o que os gráficos nos dizem, Let´s the market speak!

O SP500 fechou a 2.100, com alta de 0,20%; o USDBRL a R$ 3,0564, com queda de 1,00%; o EURUSD a 1,1335, com alta de 0,79%; e o ouro a US$ 1.185, com alta de 0,30%.
Fique ligado!

16 de junho de 2015

O fantasma de 1937

Faltam pouco mais de 60 dias para que o FED suba os juros em 0,25%. Os dados recentes, publicados nos USA, vislumbram essa ação, especialmente os de emprego e vendas no varejo. Os economistas vêm superestimando suas projeções de crescimento da economia há mais de 5 anos, mas segundo o Bank of America, agora poderão se concretizar.

"Gradual, ou de outra forma, esta será a primeira alta de juros pelo FED desde de junho de 2006, e marca um importante ponto de inflexão para os mercados financeiros. Três razões sugerem que o impacto de taxas mais elevadas será menos previsível que o normal, a comparação histórica menos potente, assim como a volatilidade deve se elevar, tanto nos mercados de crédito como de ações".

Na realidade, a razão principal é mais simples, e está demonstrado no gráfico abaixo.
Aqui encontram-se outras razões, do porque o movimento do FED vai nos conduzir a um período de volatilidade que "marcará o início do fim da flexibilização da política monetária maciça.
  • Os BCs possuem um volume em ativos financeiros superiores a US$ 22 trilhões, um número que excede o PIB dos USA e Japão combinados.
  • Os Banco Centrais cortaram as taxas de juros 577 vezes desde o caso da Lehman Brothres, um corte a cada 3 dias úteis.
  • A repressão financeira criou US$ 6 trilhões de títulos do governo com taxas de juros negativas.
  • 45% dos títulos dos governos rendem menos de 1% a.a (nós não estamos incluídos nem de longe! Hahahah...).
  • O mercado de ações americanos está no seu 3º período mais longo de alta.
  • 83% dos mercados globais de ações são suportados pela política de juros 0%.
Alguns países tentaram iniciar a normalização de juros, mas não foram bem sucedidos e tiveram que voltar atrás, como o caso de Israel e a Nova Zelândia, sem contar o caso do ECB em abril de 2011, sob comando na época, de Jean-Claude Trichet, que procurou combater a inflação exportada pela China subindo os juros uma vez. Depois de alguns meses teve que voltar aos juros anteriores, pois a Europa estava entrando em recessão.

Mas não existe um episódio mais notável que o que aconteceu nos USA em 1937, bem no meio da Grande Depressão. Esta é a única vez na história americana, que é análogo ao que o FED vai tentar fazer agora, e não só porque as taxas de juros de curto prazo desabaram a zero entre 1929-1936, mas por causa do balanço do FED que saltou de 5% a 20% do PIB, para compensar a grande depressão.

E assim, a economia começou a melhorar superficialmente, como agora, e como resultado o FED inciou um ciclo de alta de juros em três movimentos, entre agosto de 1936 - maio de 1937, dobrando o depósito em reservas de US$ 3 bilhões para US$ 6 bilhões.
"A estratégia de saída do FED falhou completamente, uma vez que, a oferta de meios de pagamentos contraiu imediatamente. O aperto do FED no 1º trimestre de 1937 foi seguido por uma severa recessão e a um colapso de 49% do índice Dow Jones".
..."Na nossa opinião, está se dando uma atenção inadequada para os riscos de uma queda, cujas habilidades nas ações do FED para agir, estão significativamente prejudicadas"... Terminam com um apelo dramático ..."Por favor, entendam que nós não estamos certos de nada. Pelas razões explicadas não queremos ter nenhuma posição concentrada, especialmente neste momento" ... 

Por coincidência, na última reunião da Rosenberg, coloquei uma preocupação exatamente no sentido deste artigo, mas sem uma evidência mais empírica. Minha colocação foi a seguinte: "OK, imaginem que o FED suba os juros até 0,75% e quando chegar neste momento, a economia comece a fraquejar. Tenho dúvidas enormes que baixando os juros novamente teria algum impacto, ou melhor, poderia até gerar uma reação contrária do mercado". 

Não conhecia em detalhes o que ocorreu em 1937,  ano que do desastre de Hindenburg, o balão de passageiros alemão que pegou fogo e ficou totalmente destruído ao tentar aterrizar. Assim como este desastre quebrou a confiança pública no dirigível, marcando seu fim, também colocou o FED numa situação de descrédito e impotência ao combater períodos deflacionários.

Amanhã termina a reunião do FED, e como de costume teremos acesso ao comunicado, vamos ver se existirá alguma pista para a alta dos juros.

No post dicas-de-um-guru, fiz os seguintes comentários sobre o Ibovespa: ...Depois de atingir uma máxima de 58.500 no início de maio, a bolsa vem recuando levemente, situando-se atualmente ao redor de 55.000. Não se pode afirmar que o movimento de queda que estou aguardando, já começou, ou se ainda buscará atingir os 60.000 - 62.000...
Passadas algumas semanas, a possibilidade de queda elevou-se, abrindo espaço para o índice buscar os 40.000 pontos que venho projetando. Não deve ser uma linha reta, mas um caminho mais tortuoso, como o apontado no gráfico acima. Para quem quer se aventurar na venda recomendo um stop a 58.000. Se as previsões se concretizarem, será um belo risco retorno, pois para uma perda potencial de 9%, o ganho pode atingir 32%.

- David, por que não transforma esse momento, numa sugestão de trade?
Já comentei que não acompanho de perto esse mercado, apenas faço algumas inserções de tempos em tempos. Para transformar em um call firme, teria que incluir mais este ativo em minha análises periódicas, e não tenho esta disponibilidade. Agora que você já é um expert, pode fazer sozinho, "go ahead!

O SP500 fechou a 2.096, com alta de 0,57%, o USDBRL a R$ 3,0874, com queda de 1,22%; o EURUSD a 1,1246, com queda de 0,32%; e o ouro a US$ 1.181, com queda de 0,33%.
Fique ligado!