Inflação: A Revanche

30 de maio de 2014

Bears 2 x 0 Bulls

Em ritmo de véspera de Copa do Mundo, minhas atenções voltam para o futebol, motivo para minha chamada de hoje. Ontem foram revisados os dados do PIB americano referentes ao 1º trimestre de 2014, e foi pior que o esperado, a economia retraiu 1%. Os otimistas nem deram bola a este número, pois creditam este número ruim as condições climáticas do início do ano. É como numa partida de futebol onde o favorito toma 2 gols ao final do primeiro tempo, mas não está nem aí, confia na virada.

O "David Bueno" do mosca já é mais cauteloso, prefere analisar os dados do jogo.


O consumo, que representa a maior parcela do PIB, teve um bom desempenho, porém o grande desfalque foi nos investimentos privados, cuja queda era inesperada. Agora, não deveria ter sido o contrário, ou pelo menos o consumo ser mais fraco? Ao questionar o técnico dos Bulls , dizem que não fosse o pênalti perdido, o impedimento não marcado no segundo gol, e a bola na trave o resultado poderia ser bem diferente, a verdade que o resultado está 2x0 e agora não adianta se lamentar.

Ao perguntar para os Bears o que eles acham do resultado, dizem que o que está acontecendo com os juros de 10 anos e lógico, basta ver sua relação com o PIB, e mostram o gráfico a seguir, onde o segundo é função também dos salários e inflação.


Como dizia o saudoso comentarista Fiori Gigliotti, "o tempo passa", e o 2º trimestre já está bem avançado, faltando somente mais um mês para completar. Embora seus resultados preliminares, só serão confirmados no final de julho, até lá, só basta assistir, mas a "bola" está nos pés dos Bulls, vamos Messi, perdão Neymar! Hahahaha.... Entenderam o motivo do "engano"? (Quem não entendeu pode me enviar uma mensagem que eu respondo).

Mas um acerto para o mosca, e desta vez foi no mercado de ouro, antes de iniciar, queria fazer uma resalva ao post desequilíbrio-estável, onde relatei que uma oscilação muito estranha, tinha ocorrido na ultima segunda-feira, feriado em Nova York e Londres: ... ao voltar do almoço vejo uma oscilação do ouro absurda para o dia, com uma mínima de  US$ 1.274 e uma máxima de US$ 1.320, uma variação de US$ 46, fechando a US$ 1.292! Procurei alguma razão para tamanha volatilidade, mas nada foi noticiado. Alguém deve ter ganho com o acionamento de sistemas de stoploss. Estranho! ... Parece que este movimento, se aconteceu, foi quando nenhum mercado eletrônico estava aberto, talvez no mercado de balcão, mas não dá para saber.

Para vocês se certificarem, fui buscar as informações num site de negociação eletrônica, vejam que o ouro durante o horário de negociação neste dia, mal saiu do lugar.


Assim o stoploss que eu havia sugerido no post Russia-na-contra-mão, não foi acionado, valendo o cenário que eu acreditava mais provável ... O motivo é que, o podem acontecer 2 cenários diametralmente opostos, o mais provável é uma queda para os US$ 1.240, mas não posso descartar uma alta a níveis que teriam que ser calculados, caso ultrapasse US$ 1.315 e principalmente US$ 1.330 ... O ouro encontra-se muito próximo do ponto projetado para a queda.

- Hi David, está se achando! Então, vai comprar ou não?
Você está acredita que o sucesso está subindo à cabeça? Pode deixar, vou me policiar, isto é um perigo! Minha resposta a sua pergunta é não sei, o motivo é que espero uma recuperação até US$ 1.340, para depois uma nova queda, rumo a novas mínimas. Vou aguardar mais dados,

Para quem está vendido, sugiro liquidar a US$ 1.240, pois como dizia meu ex-sócio, "quando você está na ponta certa, e começa a retirar os móveis, utensílios, computadores e etc... relativos a seu ganho, deixe as lâmpadas para os outros". Hahahahah....

O SP500 fechou a 1.923, com alta de 0,18%; o USDBRL a R$ 2,2413, com alta de 0,73%; o EURUSD a 1,3633, com alta de 0,24%; e o ouro a US$ 1.248, com baixa de 0,54%.
Fique ligado!

29 de maio de 2014

Desmistificando o Hedge

Já comentei algumas vezes sobre o conceito de hedge, palavra em inglês que não existe tradução para o português. Resolvi hoje aprofundar um pouco mais seu conceito, mas sugiro que releiam o post confusão-patrimonial. Inicialmente, vejamos sua definição :

Making an investment to reduce the risk of adverse price movements in an asset. Normally, a hedge consists of taking an offsetting position in a related security, such as a futures contract."

Esta definição vai direto ao assunto, consiste numa operação contrária para reduzir um movimento adverso no preço de um determinado ativo, por exemplo: Se você contraiu um empréstimo em dólares e num determinado momento está preocupado que a cotação contra o real possa subir, faz uma operação de hedge, compra dólares futuros de tal forma que se o dólar subir, você vai compensar sua perda no empréstimo com o ganho neste contrato.

Existem outros tipos de hedge que não são diretos. Me vem a cabeça uma situação que ocorreu quando estava na Tendência Corretora, num belo dia pela manhã, ao ligar nossos monitores, nos demos conta que as taxas de juros americanas tinham subido muito, não me lembro o motivo. O meu colega pegou o telefone e deu ordem para comprar prata. Eu era novato neste mundo de especulação, afinal vinha de um banco, que não participava destes mercados, perguntei:

- Por que você resolveu comprar prata?
- Ah, quando os juros sobem, a prata sobe muito mais.

Fiquei quieto, afinal como conseguiria contestar, mas de imediato tive uma dúvida: Se eram os juros que estavam subindo, por que não apostar direto neste mercado? Se tivesse questionado teria evitado um prejuízo, pois neste caso, não funcionou, a prata caiu e os juros continuaram a subir. Notem que o objetivo deste colega era de cobrir uma carteira de títulos americanos que detinha, mas quis dar uma "turbinada".

Depois de tantos anos eu criei meu próprio conceito sobre hedge: "Hedge é o final de uma especulação mal feita!"

- Hahahaha.... Agora virou filósofo em finanças? Explique-se melhor.
Vou pegar o exemplo do empréstimo em dólar, se você resolveu se endividar em outra moeda, onde seus produtos são vendidos em reais, está especulando e ponto! Argumentos do tipo: O CDI está muito caro; só exite linha de longo prazo em dólares; quanto que o dólar pode subir e etc... encaixa-se na frase do "meu amigo" Nietzsche, melhor uma explicação que nenhuma. O pior e que já vi várias pessoas se vangloriando quando no passado o dólar caiu, "ganhei uma nota". Ora se está disposto a ganhar uma nota, tem que aceitar perder uma nota!

O mosca fez mais um call certeiro, contra todas as expectativas, os juros dos títulos americanos atingiram o target mínimo, que venho alertando desde o ano passado, veja o último post sobre o assunto resistência-ao-antibiótica ... Eu ainda continuo com minha previsão que, veremos os juros cair até o nível de 2,40% a.a., para depois iniciar um novo ciclo de alta, e se ao invés de subirem continuarem a cair, principalmente abaixo de 2% a.a., algo de muito ruim deverá acontecer, mas não é meu cenário básico. Como dizia um colega americano, "when you don´t understand the markets, look bonds"... 

Se você seguiu minha recomendação, fique alerta, mas aguardaria para liquidar a posição, o motivo é que ainda tem muita gente que apostou contra, como por exemplo o Deutsche Bank que está muito otimista com a economia americana, acreditando que o FED vai subir os juros antes do que o mercado espera. Ele pode até estar certo, mas no curto prazo seu call foi ruim, lembrem-se do que comentei ontem sobre sobre os fundamentalistas, só tem um lado, vai ser difícil se explicar agora.

Para resumir entre 2,20/2,40% a.a., é mais provável que haja uma reversão, vou ficar de olho, agora se continuar caindo, e abaixo de 2% a.a., só se algo muito ruim acontecer.

- David, não entendi sua introdução sobre o hedge.
Bem lembrado, um analista publicou um gráfico que compara a evolução dos juros americanos com o SP500, em dois momentos, o gráfico de cima em 2011,e o abaixo mais recentemente.


Parece convincente que a bolsa está prestes a uma queda, então se o juros cai, vamos vender bolsa? Talvez possa ser um caso semelhante ao da prata que comentei acima, por enquanto meus indicadores do SP500 não apresentaram fraqueza. Por outro lado, tenho deixado claro, que a situação na bolsa merece muito cuidado e que não sou comprador. 

Mudando de assunto, o Banco Goldaman Sachs, fez um trabalho extenso sobre a Copa do Mundo, usou um modelo sofisticado de estatística para prever os resultados dos jogos, bem como o futuro campeão. Se der o que ele está esperando, a Dilma vai poder comemorar, o Brasil é disparado o mais cotado. Let´s see!


O SP500 fechou a 1.920, com alta de 0,54% com novo recorde histórico!; o USDBRL a R$ 2,2223, com queda de 0,44%; o EURUSD a 1,3602, sem variação; e o ouro a US$ 1.255, com queda de 0,19%.
Fique ligado!

28 de maio de 2014

Um mundo de risco zero!

O ser humano tem uma capacidade fantástica de adaptação, é claro que existem limites, mas de tempos em tempos, novos recordes acontecem. Durante minha vida profissional passei vários momentos de extremo stress, posso citar a moratória em 1987, diversos planos econômicos a saber: plano cruzado I e II, plano Bresser, plano verão, plano real, a crise da Ásia, a crise da Rússia, bolha da internet, bolha Imobiliária e etc... devo ter esquecido de alguns. Em cada um destes momentos a adrenalina eleva-se tanto, que a sensação ao final do dia é que um dia parece uma semana.

Confesso que nunca passei como os momentos atuais principalmente com a baixíssima volatilidade em todos os mercados, tanto nas bolsas, como nos juros e câmbio. Parece que não existem riscos, ou melhor, os ganhos e perdas são mínimos. Vários analistas alertam que isto é temporário e que em breve as oscilações vão retornar, e outros que estamos numa nova era, e que é para ficar, conforme o relatado no post novo-paradigma. A verdade que do mesmo jeito que as pessoas se acostumam a viver sob tensão, também aprendem a viver relaxados.

Seria fácil elencar os riscos latentes no mundo, mas certamente o excesso de liquidez gerado pelos BC's, parece de longe a maior ameaça. Ao refletir, pensei se este não seria o motivo que gerou esta situação, afinal de uma forma intuitiva, para mover uma poça de água basta um chute, agora mover um oceano é infinitamente mais difícil. Acredito que ninguém tem esta resposta, pois não existe nenhum paralelo no mundo moderno de tamanho experimento econômico.

This time is diferent, como o título do polêmico livro de Kennet Rogoff? O Ex-secretário do Tesouro Americano, Lawrence Summers, reiterou sua visão nesta última terça-feira em Londres, de uma estagnação secular, onde as influências demográficas, avanço tecnológico e o pagamento de dívidas, podem significar rendimentos super baixos por muito mais tempo antes que, o pleno emprego possa ser atingido. Vamos a alguns gráficos para que vocês se informem desta situação.

O gráfico acima é do VIX, já amplamente comentado aqui, que mede a volatilidade do índice SP500. Situa-se atualmente nos níveis mais baixos históricos, porém não aconteceu só agora, nos períodos anotados em vermelho, permaneceu bastante baixo, por aproximadamente 7 anos. Se fosse somente neste indicador os meus argumentos poderiam ficar comprometidos, uma vez que não são os únicos, porém observem a seguir, o que ocorre, na volatilidade dos títulos de 10 anos americanos e no euro.


O que mais me surpreende é a baixa volatilidade nas moedas, um mercado que negocia US$ 5,0 trilhões por dia! Talvez não seja de conhecimento de boa parte dos leitores, mas nos últimos anos, os portais de negociação de moedas se proliferaram, hoje com U$ 1.000 pode-se abrir uma conta. Até aí, nada de muita novidade, porém o que mais me chamou atenção recentemente, foi o fato de as operações mínimas, serem reduzidas a US$ 1.000. Como são operações de derivativos, o site exige uma garantia de 1/100 do valor em risco, ou seja, para cada contrato de US$ 1.000, a garantia é de  míseros US$ 10, uma gorjeta num restaurante!

Seria de se esperar um custo elevado na execuções, mas se preparem para não cair da cadeira, no euro o spread entre compra e venda é 1,8 pips, como se diz no jargão de mercado, por exemplo:
Compra = 1,360000
Venda   = 1,360018
Um exemplo para entenderem de quanto estamos falando, este diferencial para uma operação de US$ 1.000 é de US$ 0,18, não me enganei não, 18 centavos! Isto se compara a diferença de compra e venda quando se adquiri o dólar turismo para viajar, que é de, no mínimo 3%. Como eles podem ganhar dinheiro?

Esta situação vai continuar? Ninguém consegue responder, porém enquanto ficar assim, o lucro do sistema financeiro vai cair, pois a competição força a queda das margens, os hedge funds terão performance que não compensa os custos que cobram, e os ativos de maior retorno tendem a sumir, por isso a queda dos juros dos títulos de high yield. Honestamente, não tenho nenhuma convicção que deveria-se: Aproveitar esta maré até onde der; ou ficar de fora ganhando zero, novos tempos e desafios!

Hoje o assunto será Ibovespa, como comentei no post Insatisfaction ....calculo que esta  alta possa atingir até 55.000/56.000, para em seguida um período de retração, onde vou propor uma operação de compra. Uma outra hipótese é que, a correção já estaria em curso ... Parece que a alta não vai atingir o nível que imaginei, assim vou propor uma operação de compra.


Para ser franco não tenho ótimas notícias, pois meu cenário mais provável é de que este índice ainda vai atingir novas mínimas, talvez os 39.000 que estava esperando, mais a frente. Assim o gráfico mencionado no post acima não é mais válido.
Vou ficar agora com a opção A, veja a seguir a tática a ser adotada.


O intervalo de interesse é entre 47.000/48.500, o stoploss correto é à 45.000, porém não é esperado que caia muito abaixo dos 47.000. Como para chegar lá, existe uma queda de aproximadamente 10%, não vou ficar aqui tentando adivinhar a melhor tática. Fica por enquanto o alerta a 48.500, depois conversamos.

- David, ficou feio naquele almoço da semana passada. Vários comentaram que do jeito que faz as previsões, tipo pode subir, mas também pode cair, qualquer um acerta!
Eu sei que o desejo de todos seria que eu dissesse: "compra a 10 e vende a 20, e nem se preocupe, pode ir para praia", se eu tivesse este poder não precisaria escrever o blog, estaria muito rico! Hahahaha...
Entendam que a análise técnica é uma ferramenta que o analista usa para fazer suas hipóteses e estas podem estar erradas. Assim a diferença entre este método e o fundamentalista, é que o último só tem um caminho, enquanto o primeiro tem dois, um que vai de acordo com suas premissas e o que não vai.

Quando eu tenho uma convicção maior, ou um risco retorno interessante, eu proponho um trade, arrisco. Quando não tenho, ou me abstenho, ou dou uma indicação do que espero, mas a convicção não é muito grande. Continue "assinado" o mosca que com o passar do tempo vai se acostumar ou aceitar, que como tudo tem risco, você deve limitar suas perdas para não ficar na torcida perdendo muito mais.

O SP500 fechou a 1.909, com queda de 0,11%; o USDBRL a R$ 2,2321, com queda de 0,31%; o EURUSD a 1,3592, com queda de 0,30%; e o ouro a US$ 1.258, com queda de 0,55%.
Fique ligado!

27 de maio de 2014

USA: Procura-se John Wayne

Uma semana atrás, em retaliação as acusações vazias, de que 5 oficiais do exército chinês estavam espionando empresas americanas, a China anunciou que vai proibir o uso do Windows 8 em computadores públicos (considerando a baixa qualidade deste software, é provável que teriam tomado esta decisão mesmo sem a retaliação). Hoje a China ampliou sua lista de empresas sancionadas, para incluir a IBM, bem como, em seguida um relatório da Bloomberg informa que o governo está pressionando os bancos nacionais para "remover" servidores desta companhia e substituí-los por um de marca local.

Mas qual seria o real motivo por detrás destas retaliações? Não se sabe ao certo, porém agências governamentais, o Bank of China e o Ministério das Finanças, estão revendo se a aliança dos bancos comerciais com a China e a IBM, coloca em risco a segurança financeira, comentaram 4 fontes, que pediram para não se identificar.

Esta revisão se encaixa bem nos objetivos de Pequim, depois que promotores americanos indiciaram 5 policiais militares chineses, por supostamente invadir os computadores de empresas dos USA e roubarem segredos. Novamente a política americana implementada por Obama dá um tiro que saiu pela culatra, pois esta ação dos promotores é absolutamente inexequível, imagina se os chineses permitiram isso? E o caso Snowden, tudo bem? Os USA podem tudo, com argumento que, o fazem para preservar a segurança de seu país?

Ultimamente percebe-se de maneira clara a fraqueza do governo americano, em vários momentos suas ações diplomáticas foram um fracasso. Putin deita e rola, não está nem um pouco preocupado com as retaliações, haja visto o acordo assinado na semana passada com a China; no Oriente Médio, é um mero "cag##or de regras", mas solução nenhuma; e por fim, Obama está percebendo que com a China não tem brincadeira, ela que dá as cartas e não o contrário. Parece que os USA está lentamente perdendo o crachá de "xerife" do mundo, bons tempos aqueles que John Wayne era o ícone dos Yankees!

Na última atualização de nossa moeda o real problemas-inesperados, ressaltei a estabilidade vivida nestas últimas semanas ... nada tem feito nos últimos dias, diria último mês ....Pode ser que esta mini correção já aconteceu, porém seria muito "fraca", se assim for, podem esperar uma queda mais forte do dólar nos próximos dias. Ou ainda uma nova alta até os níveis que defini anteriormente, ou seja, R$ 2,28/2,32. O que vai definir é a cotação de R$ 2,18 ... 

Também fiz uma "mini-sugestão" ... enquanto estiver abaixo de R$ 2,25, uma aposta na queda do dólar é esperada, mais cedo que mais tarde, entenderam o que se pode fazer? Vender, mas não quero me envolver nestes movimentos curtos, it´s up to you! Mas como os advogados, se ganhar quero os méritos, se perder eu não sugeri! Hahahahah....


Hoje o dólar está subindo um pouco e o teste de R$ 2,25 fica mais eminente, caso ultrapasse este nível, deveríamos então esperar o patamar de R$ 2,28/2,32, para aí sim um novo trade surgir.

- Epa, está tirando da reta, e a mini-sugestão?
Pensei que já tinha aprendido como interpretar minhas palavras, note que eu frisei neste caso: Se ganhar quero os méritos se perder eu não sugeri. Isto dá uma clara visão da minha convicção, não? Em todo caso, se você vendeu o dólar, não jogue a toalha ainda, a cotação está agora a R$ 2,23, aguarde! 
Para o objetivo projetado de R$ 1,90/2,10, é imprescindível que o USDBRL caía abaixo de R$ 2,18, antes disso, nada pode-se afirmar.

O SP500 fechou a 1.911, com alta de 0,60%; o USDBRL a R$ 2,2390, com alta de 0,69%; o EURUSD a 1,3633, sem variação; e o ouro a US$ 1.265, com baixa de 2,19%, conforme o que era o mais esperado Russia-na-contra-mão e desequilíbrio-estável, mais um ponto para a análise técnica.
Fique ligado!

26 de maio de 2014

Desequilíbrio estável


- David, Hello! está dormindo? A teoria diz sobre equilíbrio instável e não o contrário!
Você anda terrível, não espera nem eu começar? Recomendo que converse com sua analista, pois anda sem paciência e isso é sinal de desesperança (será que meu outro lado está assim? Vou conversar com a minha analista, que é a mesma dele! Hahahahah...).

Na sexta-feira foram publicadas as contas cambiais e o déficit em transações correntes, atingiu US$ 8,3 bilhões, acima de todas as projeções dos analistas, mas que é uma estabilidade em relação ao de abril, que foi de US$ 8,2 bilhões. Mas os causadores se alteraram: A balança Comercial que vinha a vários meses no negativo apresentou superavit de U$ 506 milhões; enquanto os serviços e rendas aprofundaram seus saldos negativo para US$ 4,4 bilhões e US$ 4,5 bilhões, respectivamente. Assim o déficit em 12 meses permaneceu estável a US$ 81,6 bilhões, ou 3,65% do PIB. No financiamento deste déficit, destaque para entrada de US$ 3,7 bilhões via investimento estrangeiro em carteira, na maioria em renda fixa, que em 12 meses atingiu a expressiva soma de US$ 35,6 bilhões, e  o investimento estrangeiro direto de US$ 5,2 bilhões, acumulando, US$ 64,5 bilhões em 12 meses.


Na conta de serviços houve deterioração em todas as rubricas, com destaque nas despesas de aluguel e viagens internacionais, ambas vem aumentando em bases anuais, seguidamente. Já na conta de rendas, o destaque foi para a remessa de lucros e dividendos, enquanto a de juros teve elevação menor.



Muito bem, é notório que o nível de nossas contas externas encontram-se em patamar bastante elevado, basta uma chacoalhada no exterior para que haja uma piora ainda maior, uma vez que, estamos extremamente dependentes de entradas financeiras que podem reverter a qualquer momento. Em continuando desta forma, em algum momento estas fontes irão secar e teremos que consumir nossas reservas, que se encontram estáveis, num patamar bastante confortável de US$ 378 bilhões.

Assim considero a situação brasileira num desequilíbrio estável, uma vez que o montante de reservas é suficiente para acalmar o mercado se houver algum evento negativo, porém no longo prazo, dificilmente pode-se considerar uma situação confortável.

- David, o que você sugere?
Vejamos o que é possível: O ideal seria a balança comercial retornar aos níveis de 5 anos atrás com grandes superavit, mas não parece factível, uma vez que, nossos produtos perderam muita competitividade e exportar serviços não temos diferencial. Na conta de rendas o esperado é que continue aumentando, pois os estrangeiros que investem aqui vão querer enviar dividendos para suas matrizes. Na conta de serviços, o aluguel de equipamentos, em sua maioria, são operações financeiras da Petrobrás, vão ter que pagar juros por um bom tempo. Resta somente os investimentos estrangeiros direto e em títulos de renda fixa, onde os juros terão que se manter elevados, principalmente depois que o FED começar a normalizar sua política monetária.

Conclusão: Mais juros para os investidores, torcer para uma alta forte das commodities, ou uma mega descoberta.

Hoje é feriado em NY, Memorial day, assim os mercados vão ficar em banho-maria, vou aproveitar para explicar o leilão que comentei no post de sexta-feira c'est-la-folie, funciona da seguinte forma: Num grupo maior que 5 pessoas, coloca-se em leilão uma nota de US$ 20, os incrementos dos lances, devem ser de US$1,00. Quem der o maior lance leva a nota, o segundo maior lance terá que pagar o valor que ofereceu, e não leva nada.

Foram formados 2 grupos, um de altos executivos, já com uma certa maturidade e outro com jovens de até 30 anos. Quais foram os valores vencedores para cada grupo? Façam um teste e informo o resultado na próxima semana. Tentem, é bem interessante e instrutivo.

Vou fazer um breve comentário sobre o ouro, no post Russia-na-contra-mão, disse que um movimento mais importante no ouro era eminente ... pode acontecer 2 cenários diametralmente opostos, o mais provável é uma queda para os US$ 1.240, mas não posso descartar uma alta a níveis que teriam que ser calculados, caso ultrapasse US$ 1.315 e principalmente US$ 1.330 ... Vejam vocês mesmos o marasmo que o metal se encontra, neste gráfico com intervalo menor.

Será que vai continuar assim até as publicações de dados do início do mês? É bom que, o movimento comece logo, senão eu vou perder meu emprego! Hahahah... 

Parece que tive uma pré-monição, ao voltar do almoço vejo uma oscilação do ouro absurda para o dia, com uma mínima de  US$ 1.274 e uma máxima de US$ 1.320, uma variação de US$ 46, fechando a US$ 1.292! Procurei alguma razão para tamanha volatilidade, mas nada foi noticiado. Alguém deve ter ganho com o acionamento de sistemas de stoploss. Estranho!

A bolsa esteve fechada; o USDBRL a R$ 2,2203, sem variação; o EURUSD a 1,3646, com alta de 0,10%; e o ouro a US$ 1.292, sem variação, sem variação?
Fique ligado!

23 de maio de 2014

C'est la Folie

O local em que eu passei maior parte de minha vida profissional foi o Banco Francês e Brasileiro, incorporado em 1999 pelo Banco Itaú. Foi sem dúvida os melhores anos de minha carreira, não que tivesse o maior ganho, mas como se diz: Nem tudo é dinheiro (mas ajuda! Ahahahah ...).

Passei por lá em 2 momentos, mas certamente o primeiro, entre 1976 a 1984 foi o auge. Alguns executivos franceses se aventuravam a trabalhar no Brasil, e depois de um tempo, a sua grande maioria não queria voltar, também aqui tinham: casa, empregada, carro, salas enormes e etc..., quando na França teriam uma salinha de tamanho micro, iriam de metro ao trabalho, e serviam seu próprio cafezinho!

Mas era divertido e eficiente, éramos muito respeitado no mercado pelos concorrentes. A fórmula, foi a estratégia traçada por um diretor, que lotou o Banco de jovens engenheiros, com uma formação sólida de matemática. E com liberdade para operar "mandamos bala", foi muito rentável.

- Hiiiii... saudosimo. David, troque uma ideia com sua terapeuta, cuidado pois o próximo estágio é a depressão.
Será? Vou pensar no assunto. Depois desta pequena "novela", vamos aos fatos de hoje. Eu tinha um chefe naquele Banco que era fantástico, sempre de bom humor, inteligente e parecia o Alain Delon, as funcionárias entravam em delírio quando ele circulava pelos andares. No dia a dia, em alguns momentos, usava alguns termos em francês, e quando queria enfatizar uma situação de desorganização dizia " C'est la Follie". Mesmo sem saber francês já se tem uma ideia do que significa.

Hoje começa a eleição para o European_Parliament, que tem vários comitês de delegações, cujo objetivo principal é legislar sobre o bloco Europeu, resumindo, quem "dá as cartas"! As expectativas são de mudanças importantes de seus membros, onde os partidos que "repulsam e odeiam" o conceito de uma "Europa Unida", terão uma representação sem precedentes.


Neste ritmo basta mais uma eleição e os "Euro cépticos" serão o maior bloco político numa "Unidade Europeia". Se estas previsões se confirmarem, mesmo agora, a vida do Super Mário ficará mais difícil, pois como irá administrar um grupo "homogêneo", onde a Alemanha está muito bem e o resto numa draga? C'est la Folie!

Enquanto isso o euro vem caindo lentamente, desde a minha última atualização israel-pais-de-oportunidades. Está negociando abaixo do primeiro patamar que indiquei de 1,365 ...Pode ter sido um alarme falso e o euro volte a subir, mas outros parâmetros técnicos indicam muita cautela, assim vamos observar o nível de 1,365 (1) que se rompido, acrescenta alguns pontos no sentido da baixa, já 1,35 (2) é o ponto realmente importante ...


Para ser honesto, não tenho uma posição definida, pois, depois do efeito que denominei de "BCE", quando ao final da última reunião mensal, informaram que o gato subiu no telhado e novos helicópteros devem entrar em cena, nada de muito convincente aconteceu, uma escorregada.

Em todo caso, parece que uma recuperação nos preços deve acontecer dentro em breve, para os níveis de 1,38/1,385, aí então, vou decidir se me aventuro na venda do euro, ou não. Neste meio tempo, aproveitem o jogão de futebol deste sábado entre o Real Madrid x Atlético de Madrid. Vou torcer muito para o último, uma vez que tenho minhas diferenças com o craque Cristiano Ronaldo pelas suas declarações racistas Cristiano-Ronaldo-e-israel-não-troco-camisa-com-assassinos.
Vamos Atléticoooooooooo.



Hoje fui à um almoço comemorativo do aniversário de um dos "leitores fundador" do mosca! Hahahah... Um dos participantes, comentou sobre um leilão proposto por Daniel Kahneman, numa turma de Harvard (conto na segunda-feira). Em seguida, fizemos uma aposta para quem será o vencedor da Copa do Mundo, ou quem mais se aproximar do primeiro lugar, vejam os resultados entre os 12 participantes.

Brasil - 2 (17%)
Alemanha - 3 (25%)
Argentina - 3 (25%)
Portugal - 1 (8%)
Inglaterra - 1 (8%)
Itália -1 (8%)
Espanha -1 (8%)

Como são todos "Google's", sabem de tudo! Hahahah.... Vale anotar. Em todo caso eu poderia para ganhar uma nota sem risco, bastava arbitrar contra o site betfair, e ver que os 4 favoritos são:

Brasil - 33%
Argentina - 20%
Alemanha - 15%
Espanha - 14%

O SP500 fechou a 1.900, com alta de 0,42%, recorde histórico, Uallll....; o USDBRL a R$ 2,2004, com alta de 0,25%; o EURUSD a 1,3631, com baixa de 0,17%; e o ouro a US$ 1.292, com baixa de 0,10%.
Fique ligado!

22 de maio de 2014

Uma boa e uma má notícia

- David, deixa de brincadeira, vamos lá, qual a má notícia?
Hoje foi rápido no gatilho, mas vai ter que esperar um pouco, por que esta pressa toda, se a Copa do Mundo nem começou? Aliás já quero informar meus leitores que durante este período vou assistir a maioria dos jogos, portanto podem esperar por comentários nesta área, sem análise técnica! Hahahaha...

Voltando aos mercados, como todo final de mês, inicia-se o período de divulgação dos Purchasing_Managers_Index (PMI), e os da China e Japão foram publicados esta noite. Vamos começar com a China que é de muito interesse a todos, e quero notar que esta não é a publicação oficial, mas a que é publicada pelo Banco HSBC. Muito bem, o índice subiu para 49.7, acima das expectativas de mercado que apontavam 48.3 e uma boa melhora em relação ao mês passado (48.1).

O gráfico acima compara esta publicação com a oficial, que será publicada no final do mês, e parece que uma aproximação destes dois deverá ocorrer.

- Vai David, qual a má notícia?
Por incrível que pareça o emprego piorou, e numa velocidade elevada, como pode-se ver a seguir, situa-se nas mínimas dos últimos anos. Por outro lado as exportações tiveram um melhor desempenho.


Os comentários desta agência foram os seguintes: ... "However, the employment index fell further to 47.3, which implies that this month´s upstick in sentiment has not yet filtered through to the labor market... dowside risks to growth remain, particulary as the property market continues to cool. We think more policy easing is needed to put a floor under growth in the coming months"...

Já no Japão é o segundo mês que apresenta contração, indicando que o crescimento do PIB que era esperado enfraqueceu significativamente no 2º trimestre.


Qual foi o impacto no mercado? Nenhum, ou levemente positivo, pois a Bolsa no Japão subiu 2,11% e na China praticamente estável. O mercado deve ter interpretado que os dados da China de expectativa estão melhorando, portanto alivia uma certa tensão existente, e no Japão podemos ficar tranquilos, helicópteros estão sendo preparados, se precisar. O indicador de emprego e considerado atrasado em relação aos outros, assim deveria melhorar mais a frente, caso contrário, helicópteros na turma!

Faz um bom tempo que não comento sobre as ações da Apple e é esperado o anúncio de um novo modelo para breve. As ações seguem subindo contra minhas expectativas e dá última vez nunca-dependa-do-governo meus comentários foram: ... Assim é provável que eu tenha que me deparar com a realidade atual, e continuar ouvindo comentários do tipo " David, um cara tão inteligente como você usa um Samsung?" e eu não tenho como contestar, tenho que ficar quieto. Mas meu dia vai chegar, e provavelmente será no anúncio de um novo modelo, quem sabe o novo iphone VI ... 

Do ponto de vista técnico parece que esta alta é uma correção, pois se desenvolve em 7 movimentos anotados acima.

- David, prepara a carteira, parece que vai ter que comprar o iphone contra a sua vontade.
Calma lá, não joguei a toalha ainda, eu sempre disse que correções são imprevisíveis e desafiam qualquer analista, e este é o caso da Apple. Muito bem, vamos traçar a "virada" pois já tomei alguns gols nesta partida. Até US$ 650 eu aceito, agora acima de US$700, vou ter que reestudar o caso.

Eu continuo com minha mini-pesquisa e o apple domina de lavada nas mesas dos restaurantes, só usa Samsung quem ouve meus argumentos, ou as forças armadas de Israel, pois perguntei para um oficial o que achava entre ambos e sua reposta foi direta, " Apple is a obsolete system" estou em boa companhia por lá. Mas como o que vale é o bolso, vou esperar. E para quem está comprado, fique de olho, pois não existe garantia que atinja os US$650, pode reverter a qualquer momento, lógico se eu estiver certo.

Por último, quero esclarecer que só compraria o iphone se as ações caíssem a meu nível, e mantenho a promessa, seriá para ajudar a empresa! Hahahahah.. Agora se desafiar, e continuar em alta, não vou comprar, não mudei de opinião quanto ao aparelho.

O SP500 fechou a 1.892, com alta de 0,24%; o USDBRL a R$ 2,2134, com alta de 0,31%; o EURUSD a 1,3654, com queda de 0,23%; e o ouro a US$ 1.293, com alta de 0,16%.
Fique ligado!

21 de maio de 2014

Rússia na contra mão

Desde que a situação na Ucrânia irrompeu, a Rússia colocou suas tropas prontas para agir, induzindo os USA e aliados a proporem sanções financeiras àquele país. Num determinado momento o Banco JP Morgan não quis honrar uma ordem dada pelo governo soviético de transferir seus títulos para  outra praça, isto durou apenas algumas horas, haja visto a reação dos Russos contra o JP Morgan.

É possível acompanhar as posições detidas por cada país em relação aos títulos americanos que possuem, e não é surpresa que a Rússia vem diminuindo em um ritmo sem precedentes, só em março venderam um volume recorde de US$ 26 bilhões, ou 20% de sua posição.



A pergunta que vêm logo a seguir seria, mas o que aquele governo está fazendo como estes recursos? A resposta é ouro, só em abril comprou 900.000 onças do metal equivalente a US$ 1,17 bilhão, suas reservas atuais montam US$ 44,30 bilhões em 01 de maio, de um total de US$ 471,1 bilhões, ou seja, aproximadamente 10%, o que é bem inferior as porcentagens detidas por outros BC´s, tais como: Bundesbank, Bank of France e o FED, que detém 65% no metal. Esta comparação não deve ser levada tanto em consideração, uma vez que estes últimos possuem montantes totais de reservas muito inferiores a Rússia.

A Rússia vem gradualmente aumentando suas reservas no metal, como pode-se verificar no gráfico a seguir que apresenta a evolução em milhões de onças troy.


Eles vem deixando claro sua intenção de elevar suas reservas em ouro, e é possível que um de seus objetivos seja de proteger o rublo de desvalorizações ou de uma eventual crise monetária internacional.

Estes movimentos não foram muito rentáveis àquele país, pois neste período os títulos americanos se valorizaram enquanto o ouro encontra-se nas mínimas. Isto mostra a dificuldade de se usar raciocínios lógicos, ou fundamentalistas, quando existem participantes detentores de grandes reservas, que tomam suas decisões baseadas em outros parâmetros, fico com a análise técnica.

Para terminar este assunto, falta responder quem comprou os títulos vendidos pela Rússia? A Bélgica, um país mínimo que não teria reservas para tanto. Especula-se que o FED e o ECB estariam por trás destas aquisições. Se isto é verdade ou não, dificilmente saberemos, mas pode representar a batalha financeira entre estes países.

Já que o assunto é ouro, vamos lá, no post start-ups alertei para uma possível queda no curto prazo: ... Se você quiser fazer uma aposta de tiro rápido, recomendo a venda no nível de US$ 1.310, com um stop a US$ 1.340, com um target de US$ 1.240 ... Embora não foi possível executar este trade, uma vez que a cotação máxima atingiu US$ 1.308,80, o metal parece caminhar para o nível projetado.

A formação que enfatizei com a linha verde indica um movimento iminente, assim se você não vendeu o ouro a recomendação está cancelada, se vendeu, aperte o stoploss para US$ 1.315. O motivo é que, o podem acontecer 2 cenários diametralmente opostos, o mais provável é uma queda para os US$ 1.240, mas não posso descartar uma alta a níveis que teriam que ser calculados, caso ultrapasse US$ 1.315 e principalmente US$ 1.330. Vamos acompanhar os próximos dias e ver se a decisão Russa foi boa ou ruim. A vantagem é que eles não têm que combinar com ninguém, afinal são eles os Russos! Hahahaha...

O SP500 fechou a 1.888, com alta de 0,81%; o USDBRL a R$ 2,2085, com queda de 0,31%; o EURUSD a 1,3686, com queda de 0,12%; e o ouro a US$ 1,291, com queda de 0,21%.
Fique ligado!

20 de maio de 2014

Insatisfaction

Mesmo que você seja da nova guarda, já deve ter ouvido falar dos Rolling Stones, conjunto de Rock que fez muito sucesso nos anos 70. Uma de suas músicas que eu particularmente mais gosto é Satisfaction, onde o nome completo da música é I can't get no Satisfaction, ou seja, eu não consigo ter satisfação, e parece que ela se aplica ao momento atual.

Ontem eu citei sobre os distúrbios que aconteceram no Vietnã problemas-inesperados, onde os mobs destruíram várias plantas naquele país, hoje foi a vez da Tailândia, declarar a lei marcial assim o exército começa a censurar os meios de comunicação, a fim de "restaurar paz e ordem pública", tentando evitar a violência entre os grupos de manifestantes rivais. Já ouviram estes argumentos antes? Ucrânia, Brasil, Argentina, Venezuela, para citar alguns.

Mas não terminou, um ativista Chileno de apelido "Papas Fritas" resolveu queimar contratos de empréstimos a estudantes no valor de US$ 500 milhões, durante uma invasão a Universidade do Mar. Ele produziu um vídeo, onde apaixonadamente declara: " Você não tem que pagar nenhum peso de sua dívida de empréstimo para estudante. Temos que perder o medo, o medo de ser encarados como criminosos porque somos pobres. Eu sou igual a vocês, vivendo uma vida de m##da, e eu vivo o dia a dia - este é o meu ato de amor a vocês".

O que será que está acontecendo? Um mundo onde I can´t get no satisfaction? Diferentemente dos argumentos contidos na música dos Rolling Stones, hoje parece que não existe muita esperança de futuro, principalmente entre os jovens, que são os que detonam as revoltas.

Em minha humilde opinião acho que o que estamos presenciando é causado por 2 motivos principais, que já mencionei antes, e repito agora: 1) Com a globalização iniciada nos anos 90, onde países como a China e Índia, com número de habitantes gigantes, foram incluidos nos mercados de trabalho, com salários ínfimos comparados como os do mundo ocidental; e 2) A evolução tecnológica que vivemos, que está eliminando empregos em todas as áreas, e continua evoluindo ainda, cada vez mais rápido. Por outro lado os BC´s ao redor do mundo vêm tomando medidas Keynesianas, encharcando os mercados com liquidez. Acontece que suas ações evitaram uma derrocada mais violenta desde 2008, porém criaram uma distorção enorme entre as várias classes sociais, uma vez que estas medidas beneficiam os mais ricos em detrimento dos mais pobres, e não conseguem criar empregos suficientes, como pode-se ver nos gráficos a seguir, onde é visível a queda dos salários em relação ao lucro das empresas nos USA.


Como isso vai terminar, ou se ajustar, eu não sei e acredito que não existe uma resposta direta, mas usando um raciocínio simplista se a população é maior que a sua capacidade de gerar renda, distúrbios são consequências lógicas, se um jovem não tem trabalho, no momento de sua vida onde deveria ter mais esperança sobre o futuro, ele se revolta e sai às ruas, e é o que parece que estamos presenciando, num estágio inicial, pois se isto ganha um momento global, e hoje isso é fácil através das redes sociais, não devemos ter dias agradáveis no futuro. Talvez os Rolling Stones, ou algum outro grupo, poderia lançar uma nova música, Insatisfaction, direto ao ponto! Sem Hahahahahah....

Já faz algum tempo que não comento sobre o Ibovespa, da última vez no post no-mundo-da-lua, fiz os seguintes comentários: ... o índice deveria parar nos 52.000 pontos, para depois começar a cair rumo aos 39.000, de outro lado se ao invés de parar no ponto acima, continuar subindo e ultrapassar os 57.000, podemos estar em um novo movimento de alta mais consistente ...

No curto prazo acrescentei: .... Do ponto de vista técnico respeitou o limite apontado no gráfico, o que pode ser a indicação de uma reversão em direção aos 39.000. É ainda muito cedo para esta afirmação, somente abaixo de 44.000 pontos... Veja o gráfico publicado naquela data para entender melhor.


Acontece que desde então o Ibovespa subiu, colocando a alternativa de alta com melhores condições de se concretizar. Os outros indicadores tornaram-se positivos e calculo que esta  alta possa atingir até 55.000/56.000, para em seguida um período de retração, onde vou propor uma operação de compra. Uma outra hipótese é que, a correção já estaria em curso. Assim aguardem melhores indicações nos próximos dias.



- David, esta oportunidade passou em baixo do seu nariz, e no mercado brasileiro! 
Lembra das recomendações do Uri, dono do Waze? 





Pois bem, eu sempre disse que não acompanho de perto este índice, e portanto meus trades serão mais de longo prazo, além disso não quero nem comprar na mínima, nem vender na máxima, isso só acontece por sorte e pode te levar a pensar que é um gênio, o que não é! Assim estou tranquilo, pois se o Ibovespa traçar o curso que descrevi acima, vou ficar feliz, pois assim, dará mais segurança na compra. 

Paciência e disciplina são fundamentais neste ramo, e perder oportunidades faz parte do jogo, o que não se deve fazer e ficar com raiva e entrar a qualquer preço, suas chances de ganho diminuem muito.

O SP500 fechou a 1.872, com baixa de 0,65%; o USDBRL a R$ 2,2140, com alta de 0,39%; o EURUSD a 1,3699, sem variação; e o ouro a US$ 1.293, com lata de 0,17%.
Fique ligado!

19 de maio de 2014

Problemas inesperados

As surpresas inesperadas podem causar grandes estragos, pois aonde existem duvidas faz-se um acompanhamento minucioso, e agora a surpresa vêm da Asia, especificamente da China. Para nós ocidentais é sempre difícil compreender algumas ações belicosas que acontecem naquela região, e especialmente na China, que ultimamente vem arrumando alguns conflitos com seus vizinhos, e desta vez foi com o Vietnã.

Na semana passada, uma grande usina siderúrgica de Taiwan localizada no Vietnã foi invadida, matando pelo menos um trabalhador Chinês e ferindo mais 90. O motivo anti-chinês que tomou conta neste país, elevou-se desde que Pequim implantou uma plataforma de petróleo em águas disputadas no Mar do Sul da China, em 1º de maio. Um grupo de mobs, termo usado para se referir a um grande grupo de pessoas que se juntam repentinamente em um local público para fazer uma ação e rapidamente saírem do local, queimaram e saquearam dezenas de fábricas estrangeiras no sul do Vietnã, acreditando que eram de propriedade Chinesa, porém eram na verdade, de Taiwan ou da Coréia do Sul.

De acordo com o noticiário Epoch Times ... "troops, tanks, trucks, artillery, and armored personnel carriers of China’s military were seen heading to the Vietnamese border on May 16 and 17, according to photographs taken by by residents near the border."... E por que a China estaria fazendo isso? Simples, repondeu um netizen, designação a indivíduo que mantém uma participação ativa em grupos de discussão ou conferência on-line, "Um conflito entre a China e o Vietnã é eminente". E antes que os USA tivessem qualquer ideia para ajudar algum aliado, a China já tomou seus passos.

- David, instrutivo o post hoje, eu nunca tinha ouvido falar destes termos, mas e o bolso?
Eu também não, mas podemos incluí-los ao momento vivido aqui no Brasil, os mobs contra a copa, e os netizen dos "rolezinnhos", é, parece que esta forma de se manifestar é um novo fenômeno mundial. Quanto ao bolso, se por acaso algo mais sério acontecer com envolvimento da China, não vai ser nada bom para as perspectivas da economia Chinesa, que tanta dúvida tem causado ultimamente. Parece que a figura abaixo ganha mais credibilidade, hoje em dia se aguenta mais tempo sem comida que sem internet!



O post de sexta-feira deve ter causado impacto no mercado de juros resistência-ao-antibiótica, pois vocês devem ter notado que o mesmo foi noticiado em vários locais, deixando os fundamentalistas perplexos. A análise técnica tem esta vantagem, não precisa dar explicações, se o analista teve uma boa leitura dos gráficos e o mercado vai em sua direção, ótimo, caso contrário, refaz suas premissas e bola para frente, não fica vinculado a nada, somente a sua análise.

Vamos ao real que nada tem feito nos últimos dias, diria último mês. Conforme meus comentários no post o-exercito-invisível existem 2 caminhos no curto prazo ... Pode ser que esta mini correção já aconteceu, porém seria muito "fraca", se assim for, podem esperar uma queda mais forte do dólar nos próximos dias. Ou ainda uma nova alta até os níveis que definidos anteriormente, ou seja, R$ 2,28/2,32. O que vai definir é a cotação de R$ 2,18 ... Veja no gráfico a seguir a apatia de nossa moeda.

Mesmo o BCB, reduzindo o volume de venda de derivativos em dólar no montante de US$10 bilhões, o real não apresentou  volatilidade. Ainda não dá para descartar nenhum dos dois dois caminhos, o único que posso acrescentar é que o dólar está fraco, aumentando as chances para uma queda iminente. Fica aqui uma mini sugestão, enquanto estiver abaixo de R$ 2,25, uma aposta na queda do dólar é esperada, mais cedo que mais tarde, entenderam o que se pode fazer? Vender, mas não quero me envolver nestes movimentos curtos, it´s up to you! Mas como os advogados, se ganhar quero os méritos, se perder eu não sugeri! Hahahahah....

O SP500 fechou a 1.885, com alta de 0,38%; o USDBRL a R$ 2,2065, com queda de 0,35%; o EURUSD a 1,3708, com alta de 0,12%; e o ouro a US$ 1.292, sem variação.
Fique ligado!

16 de maio de 2014

Resistência ao antibiótico

Nós sabemos que ao se ingerir antibióticos em excesso, as bactérias criam defesas que anulam a sua eficácia.

- David, Hahahahah..... medicina? Come on!
Aguente firme! Vejamos a definição deste efeito pelo Wikipedia:
  "A resistência antibiótica, resistência a antibióticos ou resistência antimicrobiana, é a capacidade dos microrganismos de resistir aos efeitos de um antibiótico ou antimicrobiano. Esta pode ser adquirida via: transformação, conjugação, transdução e mutação.
Em bactérias aparece a partir do momento que as pessoas utilizam antibióticos menos potentes, fazendo então a seleção das bactérias mais fortes, sendo assim criada uma nova descendência bacteriológica resistente ao medicamento utilizado anteriormente. O uso indevido de antibióticos acarreta essa seleção."

Ontem foram publicados os dados de inflação nos USA, esta variável é acompanhada pelo FED com muita atenção, uma vez que têm-se situado muito abaixo do objetivo traçado pela autoridade americana, de 2% a.a. Felizmente, houve uma elevação do CPI "cheio" em 0,3% e em bases anuais para 2,2% a.a., enquanto o mesmo indicador excluindo alimentos e energia elevou-se para 1,8% a.a. Vale notar que o FED se utiliza de um outro indicador de inflação para seus objetivos o PCE.
Como pode-se observar, o PCE (em verde), ainda está com um nível bem abaixo dos outros, porém, se esta elevação observada ontem for consistente, é uma questão de tempo para que o mesmo suba. Além da publicação deste índice, outros dados publicados dariam sustentação para que o mercado apostasse que os juros irão subir antes das projeções estimadas pelos membros do FED, certo? Mas não foi o que aconteceu, vejam abaixo a evolução das taxas de juros dos títulos de 10 anos americanos.
Estão beirando os 2,45% a.a, nível observado em outubro do ano passado, após Bernanke ter jogado um balde de água fria no mercado, ao dizer em agosto, que os helicópteros ficam. O que aconteceu para tamanha divergência? O Deutsche Bank, que têm uma visão extremamente otimista, diz em seu relatório de ontem para o pessoal que vem apostando na alta, ficar tranquilo, pois daqui a 2 meses os juros vão subir muito forte. Nós aqui do mosca, ainda não temos esta certeza.
Eu venho alertando para uma queda dos juros ao invés de uma alta, não era de longe, uma opinião de consenso. Em minha última publicação de abril HFT-evolução-de-Wall-Street, postei os seguintes comentários e gráficos ...Eu ainda continuo com minha previsão que, veremos os juros cair até o nível de 2,40% a.a., para depois iniciar um novo ciclo de alta, e se ao invés de subirem continuarem a cair, principalmente abaixo de 2% a.a., algo de muito ruim deverá acontecer, mas não é meu cenário básico. Como dizia um colega americano, "when you don´t understand the markets, look the bonds"...
Parece ter sido um bom call, basta comparar o gráfico acima com este abaixo, funcionou bem!

- David, menos, menos... qual a lógica?
Primeiro quero enfatizar novamente a vantagem de se usar análise gráfica, é óbvio para todo mundo que eu não tinha nenhuma informação a mais que o mercado, pelo contrário tinha muito menos; segundo que a melhor explicação é que, estava todo mundo na outra ponta. Embora os USA estejam melhorando  e retirando seu helicópteros a conta-gotas, a Europa e talvez Japão e China, vão aumentar os seus, contrabalançado em muito a ação americana.


Uma outra visão técnica apresentada acima, em relação aos títulos de 30 anos, ainda prevê que o ciclo de baixa de juros não terminou, estes títulos encontram-se hoje a 3,35% a.a. e deveriam atingir 2,50% a.a. Traçando-se um paralelo aos títulos de 10 anos, implicaria uma taxa abaixo de 1,40% a.a. Ualll.... imaginem o que precisa acontecer! Em todo caso, eu ainda não tenho esta visão, mas como frisei em meu comentário acima, se acontecer, sai de baixo!

Mesmo acreditando que os juros estejam próximos de uma virada, ao nível de 2,30%/2,40%, não me arrisco nesta ponta, pois como o mercado está todo na outra ponta, se esse pessoal decidir sair de suas posições, podemram forçar uma queda maior, lembram o que aconteceu recentemente com o real.

Para finalizar, parece que o antibiótico "helicópteros" não está conseguindo matar a bactéria "estagnação" e está resistente ao medicamento, em algum momento no futuro outra forma de combate será necessária, mas por enquanto parece que os BC´s do mundo, vão prosseguir com este medicamento. Entendeu amigão? Hahahahah....

O SP500 fechou a 1.877, com alta de 0,37%; o USDBRL a R$ 2,2126, com baixa de 0,31%; o EURUSD a 1,3696, com queda de 0,10%; e o ouro a US$ 1.292, com queda de 0,25%.
Fique ligado!