Inflação: A Revanche

29 de junho de 2012

Golaço da Itália na prorrogação


Este é a foto após o 2º gol do jogador Italiano, Balotelli, contra até então invencível Alemanha, desafiando os prognósticos, a Itália está na final da Eurocopa e jogará contra a Espanha, uma final a lá Club Med!

- David, prorrogação, você está louco!
A prorrogação não foi no jogo de futebol e sim no campo financeiro, onde a poderosa Ministra Angela Merkel foi a grande perdedora na reunião deste final de semana. O primeiro ministro Italiano Mario Monti, junto com seu par Espanhol Mariano Rajov, pressionaram sobre uma agenda para diminuir os custos de captação e salvar seus bancos, forçando a Alemanha a refazer sua opinião em socorrer seus vizinhos europeus. Para os leitores do acertar na mosca, esta situação não é novidade, pois no post alemanha-está-ficando-isolada, levantamos está hipótese. 

Uma serie de medidas foram tomadas para que o stress de curto prazo fosse aliviado, embora algumas delas ainda dependem de aprovação. Está tudo resolvido? Nem pensar é um alívio de curto prazo pois as mudanças necessárias são estruturais e demoram muito mais tempo que o mercado, e a população envolvida, estará dispostos a esperar.

Na minha visão, o que aconteceu ontem, mostra uma nítida fissura no continente europeu, onde a Alemanha teve que engolir goela abaixo a proposta dos seus vizinhos "socialistas", a Merkel perdeu seu grande parceiro Francês Sarkosy e ficou isolada. A saída da Alemanha, no futuro, passará a ser mais considerada, pois é ela a única que tem o dinheiro para salvar, este barco furado denominado de euro!

Os mercados receberam as notícias com muita animação e todos os ativos de risco reagiram positivamente, é verdade que este impulso foi grandemente detonado pelas posições que apostavam num fiasco, lembram os vendidos! Vejamos uma das estrelas do dia o real.

Já pela manhã estava sendo negociado abaixo de R$ 2,02 com queda superior a 2,5%, um tombo! Nossos leitores também não devem estar surpresos, pois no post o-tempo-passa, alertamos que uma nova queda era esperada antes de continuar subindo, parece que está se desenrolando e preparem-se para comprar dólares se a cotação atingir R$ 1,97/1,94, um pouco mais on sale que o R$ 1,99 apontado anteriormente. 
Let´s the market speak!

O SP500 fechou a 1.362 com alta de 2,49%; o real a R$ 2,0044 com baixa de 3,29% ( Ualll..); o euro a 1,2649 com alta de 1,67% e o ouro a U$ 1.598 com alta de 3,08%, um dia de altas expressivas.
Fique ligado!




28 de junho de 2012

Efeito dominó

Quando uma pessoa está com sua saúde debilitada, qualquer gripe pode ter um efeito muito maior que teria em condições normais. A situação dos países desenvolvidos encontra-se em situação precária, e o que menos se deseja é um problema vindo de algum país emergente, principalmente se for da China. Já há algum tempo tomamos conhecimento de informações que a economia lá estaria se desacelerando, até iniciando, o que se costuma chamar de um "pouso forçado".
Um analista trouxe á tona hoje, a possibilidade de implosão de um tipo de empréstimo, cujo nome é "crédito garantido entre companhias", e examinou o potencial risco destas entidades causarem uma instabilidade no sistema financeiro Chinês. Sem entrar em detalhes, o conceito básico é que num emaranhado esquema de garantias cruzadas, estas companhias levantaram créditos. Os bancos, baseando-se nas garantias, concediam estes empréstimos. Vejam abaixo o esquema utilizado neste caso.

As empresas em rosa entraram em falência e as empresas garantidoras estão sendo chamadas para cobrir estes rombos, o governo de Zheijang, uma província chinesa, está tendo uma enorme dor de cabeça buscando administrar esta crise com os bancos. Que tal, não é um caso clássico de efeito dominó? Acredito que casos com este não teriam esta repercussão, se o mundo não estivesse tão receoso, ou melhor, apavorado com créditos. No caso específico da China, sempre é muito difícil avaliar a real extensão dos problemas, pois as informações vindas daquele local são "filtradas".


O gráfico acima é referente a bolsa na China, que conforme meus alertas, não vem tendo um bom desempenho. A linha em azul, se penetrada, terá um impacto tecnicamente muito negativo, e não estamos muito distantes, além disso, está se aproximando das mínimas dos últimos 12 meses, e a performance proxima a -20%. Como se diz "Deus me livre vir um problema de lá"!

Mudando de assunto, ontem o Corinthians avançou um passo importante para conquistar, pela primeira vez, a taça Libertadores da América. Alguns leitores estão intrigados pelo fato de eu estar torcendo para o Coringão, enumero os seguintes motivos: 
  1. É um time brasileiro.
  2. O prazer de ganhar dos argentinos.
  3. Meu filho é Corintiano.
Vocês tem que convir que todos são importantes. Complementando o Romarinho, que não é "clone" do Romário, mostrou muitas qualidades, ontem o técnico colocou ele na fogueira e mesmo sendo um novato marcou um golaço. Será que um novo Neymar está nascendo? Muito cedo para falar, mas é bom que o craque abra os olhos e foque no futebol. Na Eurocopa a Itália, que não estava prometendo muita coisa, venceu a poderosa Alemanha, o grande risco agora, é que a Merkel fique furiosa com os italianos e corte a ajuda financeira tão esperada! ahahahaha...

O SP500 fechou a 1.329 com baixa de 0,29%; o real a R$ 2,0772 sem variação; o euro a 1,2443 com baixa de 0,20% e o ouro a U$ 1.554 com baixa de 1,17%.
Fique ligado!


27 de junho de 2012

Incrível!

Chega de Europa por enquanto! Deixe eles discutirem no fórum econômico, provavelmente nada será resolvido.
O acertar na mosca é um blog para auxiliar em seus investimentos e isto implica em, apresentar técnicas de como crescer seu patrimônio.
Quiz : Como um investimento de U$ 1,00, investido no SP500,  poderia se transformar em U$ 15.468,38 em 50 anos? Não acredita? Pois bem, eu também achei à primeira vista impossível.



A linha verde é o resultado de um investimento no SP500 evitando os 5 piores dias do ano, a linha cinza seria a estratégia "buy and hold", ou seja, compra e não vende e por ultimo em azul, o retorno perdendo os 5 melhores dias do ano. A tabela abaixo apresenta o detalhe deste estudo ano a ano.


-David, mas como eu posso saber quais serão estes dias?
Lógico que não dá para adivinhar, mas este estudo desmistifica uma serie de frases : Ações é um investimento para o longo prazo; buy and hold; e etc... , a verdade é que, como dizia Keynes, no longo prazo estaremos todos mortos, grande frase!

- David, blá, blá, blá, o que eu faço com esta informação?
Deixe-me contar minha experiência, os meus maiores prejuízos percentualmente, foram em posições onde eu não associei um stop loss, argumentos do tipo : Esta ação eu não vendo, eu conheço o dono, vou entrar no IPO para fazer um lucro rápido, se cair eu compro mais e assim vai. Outro grupo são as compras por que os  fundamentos eram bons, depois da compra os preços só caiam, e você se pergunta: O que está acontecendo? Quem poderia estar vendendo tão barato? E elas continuam caindo.

Há alguns anos comecei a usar análise técnica e ainda venho aprendendo, é um processo sem fim, desde então minha performance melhorou, mesmo assim, é difícil conciliar a frieza da técnica com o ego do "achismo". Muito bem, voltando ao assunto de hoje se ao inciar este investimento uma quarta opção fosse utilizada, a de liquidar a carteira quando o prejuízo atingisse uma queda de 10%,  por exemplo, e voltar a comprar usando algum critério técnico, acredito que se obteria uma performance intermediaria. O mais importante deste estudo é que os retornos anuais, em sua maioria, são obtidos em poucos dias, ou porque capturamos os melhores dias ou porque evitamos os piores. Não se enganem, são 50 anos, 12600 dias, e ano após ano esta situação se repetiu. Não é incrível?

O SP500 fechou a 1.331 com alta de 0,90%; o real a R$ 2,0757 com alta de 0,28%; o euro a 1,2467 com baixa de 0,22% e o ouro a U$ 1574 com alta de 0,225.
Fique ligado!




  

26 de junho de 2012

O tempo passa!

Quem é da velha guarda lembra-se dos tempos onde às partidas de futebol eram acompanhadas pelo rádio, para assistir o jogo o vídeo tape só era disponibilizado 1 a 2 dias após. Um radialista de nome Fiori Gigliotti, era o Galvão Bueno da época, mas muito melhor. Para anunciar o andamento do jogo, usava uma frase que o caracterizou: ..O tempo passa torcida brasileira... se seu time estava perdendo e já estava no segundo tempo, ao ouvir está frase, duas eram as sensações: Esperança que ainda daria tempo para virar o jogo ou receio que o seu time poderia tomar mais um gol, frequentemente acontecia o segundo caso.

Parafraseando o Fiori poderia dizer o mesmo para a situação europeia e por que não mundial: O tempo passa torcida (europeia, americana, japonesa e etc...), é como eu sinto a cada dia que me debruço sobre as informações, ou são ruins ou nada de novo acontece. Eu nunca vivi um período onde a  desalavancagem  prevalece-se, porém pelo que tenho lido, parece exatamente o que vivemos, lentamente a situação piora, alternado por espasmos de ânimo gerados pelas ações dos governos, vulgo helicópteros. Até a torcida do Boca Juniors (vamos coringão!) sabe que a qualquer momento o céu será inundando pelas aeronaves de algum BC do planeta, e sabem também quais as medidas. Vai funcionar? Tenho minhas duvidas, pois muito tempo já se passou e nada do jogo virar!

Antes de continuar, quero esclarecer que não virei a casaca, continuo Santista até o fim. A torcida para o Corinthians é temporária, só na Libertadores, porque no Brasileirão, vamos Santosssssss, compromisso com o bolso ! ahahahahah.....

Depois deste desabafo, vejamos como está performando o real.

Ontem dei uma pincelada nos objetivos que espero para a nossa moeda, disse também que não deveria ser para já, a alta do dólar. Observem no gráfico que eu espero ainda um pequeno recuo ao redor de R$ 1,99 (on sale? Ahahahah...), em seguida projeto dois potencias objetivos, grifados em azul. Este recuo inicial pode ter um formato mais demorado, semelhante à um triângulo. Bem não quero confundir vocês, e se este for o caso, terei tempo para explicar melhor. No momento precisamos confirmar com os Russos o recuo.

Desde que comecei o acertar na mosca minhas opiniões estão escritas, não da para "fingir de morto" e simplesmente mudar, coloco literalmente na reta. Por outro lado observo que alguns leitores me provocam no bom sentido, desafiando algumas das previsões, do tipo: Se o U$ chegar a R$ 1,99 eu compro tudo!". O interessante é que há alguns meses, quando dizia que o U$ iria ultrapassar R$ 1,80, o pessoal me olhava torto, achava que eu estava delirando, agora ao contrário, não posso prever uma "baixinha" do U$? Será que frequentemente minhas opiniões serão contrarias ao consenso? Come on! 

Restam duas ordens que ainda não foram executadas pacote-de-trades, minha experiencia mostra que, ao passar o tempo, nós "esquecemos" destas posições, e eis que de repente, depois das condições terem se alterados, elas são executadas. Para não correr este risco vamos cancelar e caso surja uma nova oportunidade eu proponho novamente.

O SP500 fechou a 1.320 com alta de 0,48%; o real a R$ 2,0712 com alta de 0,49%; o euro a 1,2493 sem alteração e o ouro a U$ 1.572 com baixa de 0,67%.
Fique ligado!

25 de junho de 2012

In God we trust?

In god we trust está impresso nas notas de U$, em setembro do ano passado usei este tema para externar a minha visão que, o dólar, ao invés de crença generalizada que iria "virar pó", estava a caminho de valorização in-god-we-trust. Hoje a situação é diferente, este temor foi afastado e ultimamente vem se valorizando contra todas as moedas, umas mais, outras menos. Por enquanto o movimento não é tão expressivo, nem tão claro quanto o que ocorreu em 2008.

As moedas dos BRIC´s, o real, rúpia indiana, rublo russo e o yuan chinês foram as mais afetadas se comparadas com os dos países desenvolvidos, lógico que a moeda chinesa com padrões chineses. A nossa moeda foi uma das que mais se desvalorizaram, acima de 11% desde o início do ano, as outras moedas tiveram desvalorizações bem mais modestas. 


O que podemos esperar daqui para frente? Como estamos no ano DFPH, nada é muito claro, em determinados momentos parece que agora vai, mas em seguida muda o curso e parece o contrário.  Vamos analisar o gráfico do dólar australiano, que é uma moeda altamente associada à performance da economia Chinesa, e também, em cenários positivos ou negativos, fornece um sinal pelo seu movimento.


A linha horizontal em vermelho representa o preço ao final de 2011. Sem fazer uma análise muito profunda, o que vocês acham, vai subir para 1,09 ou cair para 0,90? Resposta difícil.

- David, quem tem que responder as perguntas é você e não eu!
É verdade, mas em determinados momentos o mercado fica em dúvida e parece que estamos num destes momentos, tecnicamente está num movimento de correção, e nestas situações ao se apostar numa única direção a chance de perda é elevada. Resumindo um "vai e volta" com tendência de queda, nada muito claro. Com relação ao real ainda acredito que estamos a caminho dos R$2,20 ou R$ 2,35, mas não já, já.

Hoje o mega especulador, George Soros, deu um ultimato: "Ou os líderes europeus concordam nas desavenças fiscais ou a reunião será um enorme fiasco". Será que ele tem alguma posição? Com certeza, e deve ser vendida, pois a chance de acontecer (acordo fiscal) é remota.

O SP500 fechou 1.313 com baixa de 1,60%; o real a R$ 2,0655 sem variação; o euro a 1,2503 com baixa de 0,51% e o ouro a U$ 1.583 com alta de 0,78%.
Fique ligado!

22 de junho de 2012

Tire suas conclusões

Eu sei que não é meu mandato comentar política, mas esta foto largamente divulgada, é demais! Será que nosso ex-presidente é ingênuo ou tão poderoso que nada pode alterar sua imagem?

- David, você está sem assunto?
É verdade que as sextas o gostinho de final de semana existe, afinal somos humanos, mas veja o que eu preparei para você.

Vou apresentar 3 gráficos, este abaixo representa o lucro das empresas americanas dividido pelo PIB. As companhias estão obtendo o maior lucro por dólares de faturamento da história.


A seguir o numero de empregados divido pela população. Nas últimas 3 décadas é o menor número desta proporção.


E por ultimo os salário dividido pelo PIB, como pode-se observar, é o mais baixo da história americana.



Olhando do ponto de vista das empresas nada a reclamar, pois é o que se podia esperar em termos de eficiência, mas do ponto de vista da população, não é nada agradável.

No caso  bizarro de nosso ex-presidente quem faturou foi o Maluf que saiu bem na foto, mas no caso da economia americana, acredito que está situação não é sustentável, em algum momento algum político vai querer interferir neste processo, ou aumentando os impostos ou impondo sansões as companhias que produzem no exterior, num tal país chamado China. 
Este ano os americanos vão escolher um novo presidente e fiz uma aposta que Obama não se reelege, caso isto aconteça, Romney anunciou que no dia seguinte a sua vitoria vai propor sanções contra a China. Bem, com o bum bum na cadeira, as promessas podem mudar.

 Do ponto de vista conceitual de economia-101, "bloquear"  a produtividade é um retrocesso mas como administrar um mundo com excesso de gente?

Tire suas conclusões, inclusive da foto! ahahahah.....

O SP500 fechou a 1.335 com alta de 0,72%; o real a R$ 2,0665 com alta de 0,18%; o euro a 1,2568 com alta de 0,16% e o ouro a U$ 1.571 com alta de 0,44%.
Fique ligado!









21 de junho de 2012

Real : O fluxo mudou

Como fiz em algumas ocasiões vou começar hoje pelo futebol, o Santos foi eliminado da Libertadores, mas o que aconteceu com a máquina de fazer gols? Desde o início o Santos adotou uma estratégia arriscada quando decidiu manter o brilhante Neymar, ao fazer isto colocou todas suas fichas num único jogador, para que ele não fosse jogar no exterior. A vida social deste atleta, virou um inferno, não tem nenhum dia que ele não apareça na TV em alguma propaganda, e para um garoto de 19 anos este glamour, acrescido de seus ganhos financeiros, ocasionou um desvio de seu objetivo principal que é jogar futebol. Enquanto ele fazia gols, todos santistas ficavam felizes, mas agora que o menino está esgotado, o Santos virou um time desfalcado. Diferentemente o Corinthians tem um técnico excelente para comandar grupos, além de uma boa equipe, deu no que deu.

 Daqui para frente, durante a Libertadores, vou torcer pelo Coringão, acho que diferente da maioria dos torcedores, não tenho rivalidades com ninguém, quero futebol bonito, afinal aqui também vale o compromisso com o bolso, que neste caso é ser brasileiro!

Voltando ao nosso dia a dia, hoje chamou  minha atenção nossas contas cambiais. Nos gráficos a seguir, os dados estão expressos em média móvel de 20 dias, para evitar distorções pontuais, o período compreendido é desde o início de 2011.


O primeiro gráfico é do saldo comercial com o exterior, até meados de agosto o mesmo vinha num movimento crescente, embora a cotação do real não ajudasse mas os preços das commodities no exterior vinham numa escalada de alta, à partir dai houve uma piora marcante até o início deste ano, onde apresentou um movimento mais errático, porém positivo, impulsionado provavelmente pela depreciação do real.

No segundo gráfico parece claro que desde agosto do ano passado, a tendência de saldos positivos se reverteu, tornando-se negativa. Este movimento pode ser consequência das varias medidas que o governo tomou, no intuito de estancar a valorização do real. Com exceção do espasmo do começo deste ano, onde uma marola de otimismo tomou conta dos investidores estrangeiros, vem-se apresentado continuamente negativo.

Olhando à frente, pelo lado comercial dependemos bastante das commodities e com a desaceleração econômica que se vislumbra na Europa e arredores, não deveremos contar com muita contribuição,no financeiro devemos esperar uma sangria constante, embora até o momento nada de grave aconteceu. Entretanto, se ao invés de uma desaceleração o mundo passar por uma forte contração, o nosso BC vai ter que vender muitos dólares para que a cotação não dispare, tudo isso combina bastante com minha expectativa para o real elaborada no post Freud-explica.

Os mercados pensaram melhor sobre as considerações da reunião do FED e não gostaram, todos os ativos de risco tiveram uma performance bem negativa, e infelizmente nossas recomendações de venda sugeridas no post pacote-de-trades não foram executadas, em todo caso a direção estava correta. Vou manter por enquanto e caso haja alguma mudança eu informo.

O SP500 fechou a 1.325 com baixa de 2,23%; o real a R$ 2,0538 com alta de 1,42%; o euro a 1,2544 com baixa de 1,23% e o ouro a U$ 1.567 com baixa  de 2,36%. Nada bom!
Fique ligado!

20 de junho de 2012

Sem helicópteros do FED

A foto expressa bem o momento no FED, por enquanto vai ficar rezando para a economia não despencar, se crescer ótimo. Foi anunciado um prolongamento na operação de twist, descrita num post de setembro do ano passado, Bernanke resolveu guardar a munição caso seja necessário. Logo depois do anuncio houve uma frustração mas neste momento, às 15 hs., nada de muito importante aconteceu.
Vamos analisar os trades sugeridos hoje pela manhã.



Em relação ao euro estamos operando o primeiro movimento até a bolinha em verde, depois como é visível, tenho grandes dúvidas. Vou aguardar as próximas horas e avaliar se o nosso nível de venda será atingido.

Quanto ao SP500, ele está dentro da área que considero uma ação e próximo de nosso nível de venda, a linha em vermelho será nosso stop loss e caso o que eu vislumbro aconteça, minha confiança vai aumentar se este índice cair abaixo de 1.270.

O SP500 fechou a 1.355 com queda de 0,17%; o real a R$ 2,0316 com alta de 0,19%; o euro a 1,2688 sem variação e o ouro a U$ 1.606. Pelo fechamento, embora havia expectativa em relação a reunião, não teve impacto hoje, talvez o mercado precisa de mais tempo para refletir.

Mas a grande decisão acontece hoje à noite no Pacaembu, onde um clássico do futebol será jogado, de um lado o Santos precisando ganhar por mais de de 2 gols, e do outro o Corinthians que tem a vantagem do empate. Como o Bernanke não usou os seus helicópteros, vou ver se consigo emprestado para no mínimo distrair os jogadores corintianos. ahahahahah...... 
Vamos Santossssssssssssssssss.
Fique ligado!


Pacote de trades

Nos dias atuais está difícil de encontrar algum assunto interessante que não envolva a Europa, e parece que ficar especulando o que a Merkel vai fazer é perda de tempo, pois por enquanto vale sua rigidez, e se nada for mudado estamos a caminho do aprofundamento da crise no continente.
Como já havia mencionando, hoje tem reunião do FED e é possível que após o anuncio a volatilidade aumente, como estamos com dois mercados próximos de nossos targets, vou propor um "pacote" de trades.



Trade: 20062012 - A
Ativo : euro
Posição: Venda
Preço : 1,2825
Stop Loss : 1,3050
Target : 1,2200 ( a ser melhor definido)

Trade : 20062012 - B
Ativo : SP500
Posição : Venda
Preço : 1.370
Stop : 1.425
Target : abaixo de 1.050

À tarde, após o anuncio do FED, vamos analisar as reações e os detalhes dos trades acima.
Boa Sorte!

19 de junho de 2012

A Alemanha está ficando isolada

Se uma situação é ruim para todos, ela não perdura. É como está a Europa agora, acho que nenhum economista, que não está envolvido diretamente, tem alguma dúvida que o EMU foi um grande erro. Eu já externei minha opinião sobre câmbio fixo, é uma maravilha quando está tudo bem e um desastre quando problemas afloram, o único que tem perdurado é o dólar de Hong Kong, também com a China por traz, fica mais fácil, todos os outros sucumbiram.

Como sair deste embrulho? A cada dia que passa a Alemanha está ficando mais isolada, pois a contaminação já atingiu a maioria dos países Europeus, por enquanto a Merkel dá as cartas, pois é a Alemanha que tem o dinheiro, e os outros que se ajustem, no limite se ficar sozinha é mais fácil este país abandonar o euro do que uma revoada do Club Med um a um. Então por que não rasgar a fantasia e cair fora já? Em agosto do ano passado o acertar na mosca levantou esta hipótese no post Europa, que naquele momento era uma especulação, porem a cada dia se torna mais factível, afinal como diz o ditado: Num mundo de loucos o louco é você.

Tive acesso a um relatório publicado pelo Banco Itaú escrito por Stephen Yen, um renomado economista The EMU Crisis, que elabora, através de um raciocínio matemático, a situação atual da Europa. Sem entrar no detalhe vamos as suas conclusões:
a) O custo de um divorcio no EMU, tem subido pois ao invés de segregar os balanços de pagamentos, tem acontecido o oposto, o que aumenta o risco de contagio;
b) O custo para a Grécia abandonar o euro é muito elevado e envolve grandes riscos, ao contrário, se a Alemanha sair, o custo no curto prazo é pequeno, uma valorização da nova moeda pode ser suportada, e não há nenhum risco de ruptura;
c) A Alemanha já passou pela experiência da reunificação de sua parte Oriental, com um custo total de 1,7 trilhões de euros para uma população adicional de 20 milhões e não estaria disposta a bancar um custo desta magnitude com seus vizinhos.

Vejam algumas das consequências, abaixo está o gráfico de saques e depósitos dos BCs de cada país contra o ECB, o que está acontecendo ultimamente é que os indivíduos e empresas na Itália, Espanha, Grécia e etc...sacam seus depósitos em seus países, abrem uma conta na Alemanha e transferem seus euros. Os bancos no Club Med, para honrarem com estas transferências, sacam do ECB, o banco na Alemanha que recebeu os recursos deposita no BC alemão, que por sua vez deposita no ECB. Resumindo, o ECB está ficando com o risco destas transferências, que vem aumentando significativamente nos últimos meses. 
O custo desta operação, para quem fez a transferência, é relativamente baixo, viz a viz o risco dos euros virarem dracmas, pesetas, liras do dia para noite.


Se os países prejudicados chegarem à conclusão que não está dando mais, basta ir isolando a Alemanha em seus desejos, para tanto vão a busca da maioria, nas decisões do ECB, forçando um abrandamento das condições, os germânicos não concordam e num belo dia pedem o divórcio.

Será que politicamente é viável? Não sei, mas o que eu sei, é que esta situação de emitir seus 500 + 500, como num blefe de poker, algum dia as cartas vão ter que ser abertas.

Olhando mais para o curto prazo amanhã tem reunião do FED e o mercado está esperando algum tipo de helicóptero, moderno, antigo, turbo etc..., qualquer um, desde que espalhe mais dólares por ai. Eu acredito que as maquinas vão ficar guardadas nos angares, pelo menos agora, o FED vai guardar suas esparsas munições.

O SP500 fechou a 1.357 com alta de 0,98%; o real a R$ 2,0287 com baixa de 1,67%; o euro a 1,2684 com alta de 0,84% e o ouro a U$ 1.618 com queda de 0,61%.

Estamos nos aproximando dos níveis apontados para o SP500 1360/1380 e também para o euro, aguardem sugestões de trade a qualquer momento.
Fique ligado!




18 de junho de 2012

Sobe no boato e cai no fato

Está é uma frase que já ouvimos e foi o que aconteceu neste final de semana, hoje sabemos que as eleições na Grécia foram vencidas pelo partido conservador, ou seja, continuam no euro, mas não por muito tempo na minha opinião.
Na abertura da Ásia os mercados abriram animados, o euro chegou a cotação máxima de 1,2747 não atingindo nosso preço de venda, por está razão vou cancelar a ordem e aguardar outro momento.

- David, por que o mercado reverteu?
O fato de continuar no euro não elimina as incertezas, pois o país está passando por pressões econômicas extremas, além da austeridade prolongada, a incerteza minou a confiança e um colapso no crescimento do crédito contribuiu na pressão sobre o setor privado, que por sua vez não investiu. Os esforços de privatizações foram abortados além de um desemprego estruturalmente elevado. Se estas incertezas não forem abrandadas, soluções moderadas não irão funcionar e visões populistas extremas deverão ganhar força. Estas observações valem também em menor escala para Portugal e Espanha, e quanto mais tempo o status quo permanece, mais países Europeus vão ser empurrados para esta situação, um circulo vicioso.

Em relação as bolsas, eu não sei se já estamos rumo as quedas mais expressivas que estou esperando. Como agora vocês já estão ficando experts nos gráficos, vejamos inicialmente o que publiquei na sexta-feira.

Eu havia dito que entre sexta e hoje deveríamos ter uma definição, e até o momento não parece haver (marcações em vermelho).
Abaixo o gráfico atualizado do SP500 (o anterior é do Dow Jones) publicado no post o-creme-está-estragado:

Embora já esteja dentro do intervalo esperado, o movimento apresentado com a linha em azul faria "mais sentido" numa correção, notem também que atualizei ligeiramente o intervalo esperado ( retângulo verde) entre 1.340/1.380.
Pode cair a partir de agora? Sure! assim temos duas estrategias: a) Vendemos já é assumimos um potencial risco de, um stoploss, gerar um prejuízo maior; b) Ou aguardamos o desenrolar e decidimos mais adiante. Vou ficar com a ultima.

O SP500 fechou a 1.344 com alta de 0,14%; o real a R$ 2,0591 com alta de 0,53%; o euro a 1,2570 com baixa de 0,51% e o ouro a U$ 1.628 sem variação.
Fique ligado!



15 de junho de 2012

Os helicópteros do mundo estão a postos

Os vários BC do mundo deixaram claro hoje que estão prontos para agir, caso o resultado das eleições na Grécia provoquem turbulência nos mercados. É incrível como um país que tem pouquíssima representatividade global pode ameaçar tantos países, é como o David, não o do acertar na mosca, fosse enfrentar o Golias. Mesmo fazendo-se o paralelo com o caso Lehaman Brothers, a situação é muito diferente, pois aquele banco tinha uma exposição expressiva no mercado financeiro americano. Eu só posso concluir que as economias estão extremamente fracas.

A análise técnica é incrível, eu estava analisando vários ativos ontem e os mesmo se encontram num pivot, a título de exemplo, abaixo o gráfico do Dow Jones:

Sem entrar na tecnicidade, os pontos que anotei 1,2,3,4 indicam que este índice está pronto para subir, porém é necessário que isto aconteça logo entre hoje ou segunda, caso contrário uma queda poderá ocorrer. Não é frequente situações como esta, e o fato de o gráfico se apresentar desta forma, dá sustentação ao modelo, pois estamos num momento de decisão. Hoje não tem outra coisa a fazer, a não ser acompanhar a evolução let´s the market speak!

O mercado fechou no limite do quadro acima ficando para segunda-feira a decisão mas com chance maior de alta, por conseguinte, e considerando-se o risco das eleições gregas, vamos ajustar o trade do euro que passa a ter as seguintes condições:

Trade : 16062012
Ativo : Euro
Posição : Venda
Preço : 1,2800
Stop Loss : 1,3000
Target : 1,2200 ( a ser melhor definido)

O SP500 fechou a 1.342 com alta de 1,02%; o real a R$ 2,0442 com baixa de 0,59%; o euro a 1,2657 com alta de 0,24% e o ouro a U$ 1.624 com alta de 0,11%.
Fique ligado!




14 de junho de 2012

Ficar ou não ficar?

Parece que o acertar na mosca está desviando-se para uma área mais humanística, depois da decepcionante apresentação do Santos ontem, talvez eu tenha me voltado mais para a filosofia, será? Em todo caso, parabéns ao Corinthians que jogou com raça e esquema tático bem elaborado, mereceu a vitória. Só para continuar no assunto, tenho assistido à alguns jogos da Eurocopa e não antevejo um caminho fácil para nossa seleção, para ir direto ao assunto, os times europeus jogam como um "reloginho" tudo funciona bem, o ataque e a defesa se misturam, os jogadores estão onde a bola está, acabou aquele eu sou beque ou centroavante. Assistam vale a pena.

Bem, o tema de hoje é um derivado da famosa frase de William Shakespeare adaptada para a Grécia: Ficar ou não ficar no euro, esta é a questão. Neste final de semana haverá eleições e aproveito a visita de um analista aquele país que observou duas grandes surpresas: a) A grande maioria dos Gregos não parece quererem sair do euro e b) Eles não depositam a culpa na Merkel, mas em seu governo, pois acham que o problema da dívida é por conta de um sistema social corrupto. Os dados de desemprego continuam piorando, hoje foram publicados os mais recentes e a taxa passou para 22,7%, sendo que para o grupo de jovens atingiu 52,7%, ainda bem que meus filhos não moram lá!...

Dito tudo isso, e mesmo contra a ideia de um leitor que fica contando os dias, como se uma bomba atômica será detonada neste final de semana, eu acredito que a chance da Grécia abandonar o euro agora é ínfima. Meus argumentos se baseiam no fato que qualquer candidato que ganhar será por uma margem mínima e não terá poder absoluto.


- David, vamos comprar o euro?
Nossa quanto tempo? estava com saudades, desculpe decepcioná-lo, mas vamos vender.

- Como assim! Você não escreveu recentemente que esperava 1,35/1,40?
Sim e não, eu disse que poderia subir a partir de agora ou ainda teria uma nova queda faça-sua-aposta, e acredito mais nesta segunda hipótese. Olha, eu sempre enfatizo que não tenho problema nenhum em mudar de opinião, o compromisso é com o bolso , mas este não é o caso pois vamos com a alternativa 2). Veja detalhes abaixo:

Trade :  14062012
Ativo : Euro
Posição : Venda
Preço : 1,2750
Stop Loss : 1,3000
Target : 1,22 (a ser melhor definido)

Acredito que, se o que eu imaginei acima se materializar, o euro poderá ter um rally e vamos aproveitar para vender, afinal a Europa não está nada boa.

O SP500 fechou a 1.329 com alta de 1,08%; o real a R$ 2,0539 com queda de 0,85%; o euro a 1,2632 com alta de 0,52% e o ouro a U$ 1.623 com alta de 0,34%.
Fique ligado!

13 de junho de 2012

Freud explica

Eu faço terapia há muitos anos e depois de analisar minhas reações e sentimentos centenas de vezes, percebi a importância de conhecer a si próprio. Como subproduto, me ajudou a entender melhor os mercados por este ponto de vista, e deu sustentação ao uso da análise técnica, uma vez que ela se baseia nos preços, que por sua vez é a somatória das ações do mercado. O Professor Mark Stein elaborou sua conclusões num documento a psicoanálise da crise financeira. Sintomas de negação, onipotência, triunfalismo e hiperatividade foram manifestados numa série de crises: A queda do muro de Berlim, a crise Asiática, quando o mundo Ocidental, ao invés de reagir com cautela, aumentou seu risco. Eu suspeito que estas rupturas causaram muita ansiedade entre estes líderes, mas ao invés de aprender com estas crises, responderam com tentativas triunfantes, para provar a superioridade de suas economias em relação as suas vulnerabilidades desencadeadas por estas rupturas. O Professor Stein avisa que a continuidade desta atitude vai desembocar num colapso, como já aconteceu no passado.

O motivo deste pequeno desvio dos nossos objetivos, o bolso, é que esta visão me parece bastante interessante, e de certa forma combina com meu cenário de mais longo prazo, onde prevejo dias muito, muito difíceis, quem perder menos será o ganhador.

Vamos analisar hoje o real que vem sofrendo pressão nestes últimos meses, nossas autoridades mudaram seus discursos de Tsunami financeiro, invasão de importados e etc... e começaram a se preocupar mais com os efeitos da desaceleração, que vem ocorrendo no exterior. O BC vem atuando, sistematicamente, na venda de dólares e derivativos, e mesmo assim o real tem sido pressionado.

Compatível com a melhora de curto prazo nas bolsas internacionais, o real poderia se apreciar até +/- R$ 1,95 e em seguida uma nova alta do dólar até o retângulo em verde R$ 2,25/2,40. Se o movimento de alta que imagino acontecer, e dependendo de sua força, existe a chance de o U$ subir mais, porém, no momento não é meu cenário básico, apenas uma possibilidade que merece menção. Como eu uso a analise técnica como ferramenta, eu sempre tenho que ter um preço onde minha análise se mostra errada e este ponto é o retângulo em vermelho ao redor de R$ 1,85. Se a situação externa piorar muito, é  provável que o BC vai atuar vendendo dólares para evitar a explosão nos preços, neste momento será testada sua habilidade para administrar aquele momento de tensão.

A importância do dia de hoje não se encontra no mercado financeiro e sim nos campos de futebol, dois clássicos mundiais serão as atrações. Na Eurocopa a Holanda enfrenta a Alemanha com a obrigação de ganhar além mostrar seu futebol, que decepcionou no primeiro jogo, e aqui na Vila Belmiro, Santos x Corinthians pela copa Libertadores de America. 
Que me desculpe os leitores corintianos, mas vamos Santossssssssssss....  


O SP500 fechou a 1.314 com queda de 0,70%; o real a R$ 2,0708 com alta de 0,15%; o euro a 1,2573 com alta de 0,55% e o ouro a U$ 1.617 com alta de 0,51%.
Fique ligado!                                       

12 de junho de 2012

Por que o ouro não está brilhando?

Faz quase um ano que o ouro atingiu sua cotação máxima de U$ 1.919 e de lá para cá, vem lentamente perdendo terreno. O metal é visto como porto seguro e no período recente não faltaram notícias ruins, que deveriam ter lhe dado mais brilho. Quando o acertar na mosca começou suas atividades, alertei que não acreditava numa alta sem limites e que uma correção aconteceria em seguida. No post quando-ilógica-prevalece expus os motivos que fariam o U$ se valorizar perante todos os ativos, inclusive o ouro, e estas premissas estão se concretizando. Para resumir, durante muitos anos o dólar era visto como uma moeda a ser evitada, pois era uma questão de tempo para que perdesse sua importância, naquela época vislumbrava-se o euro como substituto, vejam vocês, o euro!

Nós não entramos nessa e no post in-god-we-trust deixamos claro que a tônica seria comprar dólares. Vocês podem se perguntar por que então sugeri várias compras de euro, contra esta tendência, a resposta é que o compromisso é com o bolso e vamos "surfando" com as mini ondas, sem esquecer o quadro mais longo.

Abaixo relaciono minhas expectativas considerando analises mais recentes:

  1. O movimento nas taxas de juros dos títulos americanos de 10 anos ou já atingiram a mínima histórica a 1,44% a.a. ou ainda uma nova mínima a +/- 1,20% a.a, depois disso sai de baixo vão subir, e muito.
  2. O SP500 deverá entrar num movimento de baixa dentro em breve, que só vai terminar abaixo do número do diabo 666.
  3. O euro talvez uma nova alta até 1,35/1,40 para depois rumo ao 1,10.
O Ouro deverá atingir o nível de +/- U$ 1.300 e depois subir para buscar novas máximas acima do U$1.919, veja o gráfico a seguir:

Minha previsão (1) contempla uma alta até U$ 1.700 /U$ 1.750 e depois uma queda ao níveis de U$ 1.300, um outro alternativo (2) onde já estamos no movimento de queda. Analisando os detalhes, ou seja em intervalos mais curtos, diria que não é tão evidente qual a preferencia entre (1) ou (2). Acima de U$ 1.640 valida o cenário (1) e abaixo de U$ 1.520 a alternativa (2). Este tipo de aposta não tem um bom risco x retorno, vamos ficar assistindo por enquanto.

O SP500 fechou a 1.324 com alta de 1,17%; o real a R$  2,0654 sem variação; o euro a 1,2506 com alta de 0,32% e o ouro a U$ 1.609 com alta de 1,64%.
Fique ligado!



11 de junho de 2012

O creme está estragado

Hoje não é mais novidade para ninguém que os bancos espanhóis estão recebendo uma ajuda de U$ 125 bilhões, valor superior ao esperado pelos participantes. O mercado na Ásia abriu animado e ao passar das horas foi perdendo o entusiasmo. Inúmeros são os motivos para esse desânimo: Como é o governo Espanhol que terá que garantir esta ajuda, a sua dívida vai se elevar e como consequência seu custo, eleições na Grécia neste final de semana. O próximo país a ter problemas seriá a Itália, afinal não conseguiu ganhar da Espanha no jogo da Eurocopa! ahahahah..... A Verdade é que o mercado ao invés de apreciar o morango, já acha que o chantili está estragado, assim reagem os mercados de baixa, as pessoas ficam tão descrentes, que uma boa notícia vira má. O fechamento em Nova York hoje nos dirá a interpretação do mercado, estável ou em baixa, não será nada bom.

Está ficando cada vez mais difícil injetar animo, os investidores estão ficando desapontados, e isto combina com minha previsão de uma queda a se desenrolar brevemente. No post jogo-ou-nâo-toalha antevi um movimento de correção que parece estar em andamento, veja a seguir o gráfico do SP500:

Falta ainda uma queda, e uma nova alta no intervalo compreendido entre 1.330 e 1.360, em acordo com meus comentários. Para quem ainda não de desfez de suas ações ou para quem quer vender a descoberto, o tempo está se esgotando, vamos ficar atentos ao preços pois as notícias são consequências.

O SP500 fechou a 1.309 com queda de  1,26%; o real a R$  2,0553 com alta de 1,72%; o euro a 1,2485 com queda de 0,26%; e o ouro a U$ 1.599  com alta de 0,30%. 
Os fechamentos foram nas mínimas do dia, nada bom!
Fique ligado!


8 de junho de 2012

A história se repete?

Está é uma pergunta que se aplica a uma serie de situações em nossas vidas, o que tem por traz é a busca de uma segurança sobre o futuro, uma vez que se é verdadeira vamos saber como proceder. Nos mercados seria de grande valia pois ao saber seu comportamento futuro seria uma moleza ganhar dinheiro, e o acertar na mosca poderia fechar suas portas! Eu não acredito ser de uma forma "paste copy", mas situações similares tendem a ter conseqüências semelhantes.

Isto leva ao assunto de nosso post hoje, vou deixar de lado um pouco a Europa, pois não teria muito a acrescentar a não ser o inicio da Eurocopa.


Acho que não preciso dar muitas explicações, o que este gráfico intenciona é mostra as semelhanças nas evoluções das bolsas, no Japão ( Nikkei 225), na Europa ( Euro Stoxx  50) e nos USA ( SP500), começando em datas distintas, antes das altas expressivas em cada uma delas.

Vejamos agora o que aconteceu com as taxas de juros usando o mesmo raciocínio, notem que a data de início não são as mesmas.


-David, por que elas são semelhantes?
Sou obrigado a reconhecer que ao ver estes gráficos fiquei surpreso é visível a semelhança, logico que não poderiam ser idênticas. A melhor explicação que posso dar é que neste locais um processo de desalavancagem teve início apos o estouro de uma bolha, e os governos adotaram políticas monetárias iguais, com taxas de juros  de curto prazo em 0 %. Outra conclusão é que o processo é longo, e nas tentativas de "agora vai", são em seguida abortadas. Para falar a verdade estes gráficos são compatíveis com as analises técnicas onde nos próximos anos iremos vivenciar períodos difíceis, o SP500 abaixo do 666, minimo atingido em 2009, número do diabo!

O SP500 fechou a 1325 com alta de 0,81%;  o real a R$ 2,0236 com baixa de 0,39%; o euro a 1,2507 com baixa de 0,46%; e o ouro a U$ 1.593 com alta de 0,25%.
Fique ligado!



7 de junho de 2012

Nunca mais?

A humanidade presenciou o extermínio de milhões de pessoas durante a II Guerra Mundial quando Adolf Hitler assumiu o comando da nação Alemã. Outro dia assisti um documentário de como ele chegou ao poder, este processo durou alguns anos, a história mostra que as grandes guerras acontecem depois de períodos de grandes dificuldades econômicas, este episódio não foi diferente, afinal pragmaticamente se você diminui a população precisa de menos comida e diminui o desemprego.

Estamos acompanhando os acontecimentos na Europa e vários países já estão em dificuldades, a Grécia é a mais avançada neste processo, a mesma está se preparando para uma eleição no próximo final de semana. Em um debate político transmitido pela TV esta noite, o candidato do partido nazista agrediu várias vezes uma defensora de esquerda. veja no link a seguir nazi candidate attacks.

Eu não sou sociólogo, nem tenho formação, também não acredito que os partidos nazistas terão alguma influencia neste momento. Parece que, até a solução dos problemas do mundo, os países passarão por um empobrecimento generalizado. Será que podemos dizer nunca mais vamos ver as atrocidades daqueles momentos? Muito temeroso!

Embora seja feriado no Brasil, os outros mercados estavam abertos. Nas últimas 24 horas tivemos algumas ações que destaco:

  1. O Banco Central da Europa manteve a taxa de juros, em sua reunião de ontem, em 1% a.a.. Houve um desapontamento pois uma parte do mercado esperava uma redução.
  2. A China decidiu reduzir sua taxa de juros em 0,25% a.a. por conta da desaceleração apontada nos últimos dados, além da inflação ter-se mostrado contida.
  3. O Bernanke participou de um testemunho no Senado, e em seu discurso afirmou que o FED está pronto para agir caso seja necessário, porém quando foi perguntado se não achava que os juros estão muito baixos ( 10 anos a 1,5%a.a), deixou implícito que baixar os juros não teria mais efeito econômico. Fiquei com a impressão que ele não tem mais "bala na agulha".
Pela manhã os mercados estavam bem animados, mas após este ultimo pronunciamento devolveu uma parte dos ganhos. Não se enganem, a desalavancagem está ganhando terreno e dos 3 fatos acima, o único que pode ajudar um pouco, é a China. 

Ontem postei faça-sua-aposta, minhas considerações da possibilidade de uma nova mínima antes de uma alta para o euro, este raciocínio pode ser transportado também para o SP500 veja o gráfico a seguir:

Da mesma forma ou já estamos a caminho do retângulo em verde ( linha azul 1), ou ainda um novo mínimo para depois subir (linha roxa 2). Vou usar o nível no SP500 de 1.330 como pivot, acima positivo e abaixo negativo.

O SP500 fechou a 1.314 sem variação; o real a R$ 2,0315 sem variação; o euro a 1,2569 sem variação; e o ouro a U$ 1.590 com queda de 1,66%.
Fique ligado!




6 de junho de 2012

Faça sua aposta

Em continuação, o embate na Europa está se aproximando de uma data importante, no dia 17 deste mês serão realizadas eleições na Grécia, onde ficará decidido se o candidato de esquerda Syriza ou a nova democracia vencerá. Por enquanto as pesquisas mostram um empate técnico. Por esta razão, quem quer que vença, terá dificuldade de governar um país tão dividido e com a necessidade de implementar duras medidas.
Em todo caso, o Deutsche Bank elaborou uma tabela com as várias possibilidades, vejam a seguir:


O que este Banco fez foi estimar a probabilidade de cada cenário e qual seria a cotação do euro nesta situação. Não vou entrar no detalhe de cada hipótese, nem do nível do euro por eles estabelecidos, mas ressalto dois pontos: a) Eles acreditam que a maior chance é que a Grécia não abandone o euro (65%) e b) Que você só pode estar vendido no euro, se acredita que a Grécia vai abandonar a União Européia já.
Faça a sua aposta!

O acertar na mosca já fez a sua, no post fichas-na-mesa coloquei os motivos que me faziam não entrar na venda do euro, naquele momento o euro estava a 1,2350, vejamos o gráfico atual:

O ponto em vermelho foi a data do post. Daqui para frente eu acredito em dois cenários possíveis: 1) Continua a subir, e já fez o bottom (verde); 2) Uma última queda com novo bottom a +/- 1,22,  para depois subir (azul). 

Atente que estas são previsões de curto prazo, pois mais a frente, apos está alta atingir +/- 1,40 ( a ser melhor calculado), reverteria o rumo com uma queda expressiva à +/- 1,10. Esta precisa combinar mesmo com os Russos  ahahahah.....

Eu sei que estas previsões são muito, muito fora do consenso e sei também que vocês devem ter dificuldade de acreditar, mas é o que tecnicamente eu enxergo. Eu só vou mudar, se ao invés do euro seguir pelos caminhos 1 ou 2, cair abaixo de 1,19. Em todo caso estou sugerindo uma opção com um bom risco x retorno que é o que importa neste negócio. Previsões obvias no mercado de câmbio internacional, que é altamente competitivo e onde se negocia a bagatela de U$ 4,0 trilhões por dia, precisam ser bem refletidas para não se cair numa armadilha!

O SP500 fechou a 1.315 com alta de 2,30%; o real a R$ 2,0295 com alta de 0,27%; o euro a 1,2570 com alta de 0,96%; o ouro a U$ 1.618 sem variação.
Fique ligado!




5 de junho de 2012

Estatísticas das mídias sociais

O objetivo deste post é compartilhar estas informações sobre os vários canais de mídia sociais.
Espero que seja útil.








Fique ligado!